Arte dos índios Wajãpi vira patrimônio da humanidade

A "expressão gráfica e oral" dos índios Wajãpi, que vivem no Amapá, foi declarada hoje Obra-Prima do Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade, conforme anúncio feito em Paris. A arte dos Wajãpi entrou para lista da Unesco, a Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, ao lado de outros 27 itens.Segundo o Museu do Índio, existem hoje 550 índios Wajãpi, vivendo em 40 aldeias. Um dos aspectos que chamaram a atenção da Unesco é sua arte gráfica, conhecida como kusiwa, feita a partir de extratos vegetais. Embora sua terra esteja demarcada desde 1996, a Unesco considera que sua arte está ameaçada.Além da cultura Wajãpi, foram incluídos na lista da Unesco a festa do Dia dos Mortos, no México, o carnaval de Barranquilla, na Colômbia, a arte dos narradores de Meddah, na Turquia, a música tradicional de Morin Khuur, Mongólia, e, entre outros, o gênero musical Maqam, do Iraque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.