Arte cinética e construtiva ganha mostra em SP

Do gosto pessoal da própria galerista Raquel Arnaud pela arte cinética e a construtiva foi organizada em seu Gabinete de Arte a exposição Geométricos e Cinéticos, que reúne muito bem obras de Willys de Castro,Franz Weissmann, Sergio Camargo, Abraham Palatinik, Julio LeParc, entre outros grandes nomes, além de dedicar espaçoespecial para a obra do venezuelano Carlos Cruz-Diez, um dosdestaques de seu país nesta 25.ª Bienal de São Paulo.E além dessa interessante reunião, Raquel Arnaud abreamanhã, no Galpão Design, na Vila Madalena, uma mostraparalela composta por 12 esculturas, uma forma de aproveitar avinda de curadores e público de arte a São Paulo por causa daBienal para mostrar os trabalhos de alguns de seus artistas comoCarmela Gross, Iole de Freitas, Carlito Carvalhosa e Anna MariaMaiolino, por exemplo.Muito interessada nessas duas correntes estéticas quebasearam Geométricos e Cinéticos, Raquel e um grupo formadopor vasto conselho de amigos como Adolpho Leirner, Lorenzo Mammì Rodrigo Naves, Paulo Sérgio Duarte, entre outros, idealizaram oInstituto de Arte Contemporânea (IAC) que, contando com aparceria da Universidade de São Paulo, começará a funcionar noprédio histórico da Rua Maria Antônia. "Há uma lacuna dessesegmento nos museus do País e, por isso, comecei com a idéia defazer o instituto", diz a galerista.Mas Raquel conta que a primeira idéia era fazer umespaço dedicado à obra do escultor Sergio Camargo, que morreu em1990. E como outros nomes foram surgindo na lista de interessedo grupo, chegou-se à conclusão de que o IAC deveria abarcar umnúmero maior de artistas. Para tanto, a instituição contará comobras de alguns cinéticos e geométricos além de oferecer um ricobanco de dados com livros, estudos e materiais recolhidos daimprensa sobre esses produtores de obras de arte que explodiramnas décadas de 50 e de 60.Exposições - O primeiro espaço do Gabinete de Arte estáreservado aos artistas geométricos que integraram os movimentosconcreto e neoconcreto. Hércules Barsotti, Luiz Sacilotto eGeraldo de Barros são alguns outros exemplos. Depois, surgem ascriativas obras dos cinéticos: Palatinick, Le Parc e Jesus Soto,e, finalmente, o espaço especial para Cruz-Diez. Há até uma obrainterativa: um programa de software que o próprio venezuelanodesenvolveu para que os visitantes criem as próprias obras apartir de elementos dos quadros do artista. O CD será vendidopor US$ 250 e as pessoas podem imprimir suas criações.Já a mostra paralela organizada no Galpão Design não éuma continuação de Geométricos e Cinéticos. "A únicacoerência é que são esculturas", diz a galerista. Pode-se dizerque o único geométrico presente é Sergio Camargo, responsávelpor um conjunto de esculturas de mármore.Geométricos e Cinéticos. De segunda a sexta, das 10 às19 h; sábado, das 11 às 14 h. Gabinete de Arte Raquel Arnaud. R.Artur de Azevedo, 401, tel, 3083-6322. Até 24/4 MostraParalela. De 2.ª a 6.ª, das 10 às 19 h; sábado, das 11 às 14 h.Galpão Design. R. Aspicuelta, 145, tel, 3814-3393. Abre amanhã(23), às 11 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.