Divulgação
Divulgação

Art Déco em São Paulo

Evento internacional discute a preservação do estilo

Cynthia Garcia, O Estado de S.Paulo

12 Agosto 2011 | 00h00

ESPECIAL PARA O ESTADO

Na disputa com a trinca de cidades francesas Paris-Rheims-San Quentin para ser sede do 11.º Congresso Mundial de Art Déco ganharam o Rio e São Paulo, que deu ontem partida ao evento que vai até amanhã, retomando no Rio de domingo até dia 21. À frente está o marchand e pesquisador carioca Márcio Alves Roiter, presidente do Instituto Art Déco Brasil, fundado em 2005, no Rio. A ONG é ligada aos Icads (International Coalition of Art Déco Societies), associações que lutam, desde 1995, para a preservação do estilo em Miami, Nova York, Paris, Melbourne (Austrália) e Montreal (Canadá), e estarão representadas por 90 experts, entre historiadores e colecionadores, no congresso. Entre os palestrantes estarão a francesa Florence Camard, especialista nos designers franceses Ruhlmann e Michel Duffet, o americano Alastair Duncan, autor de Art Déco Complete, maior livro já publicado no gênero, e o argentino Fábio Grementiere, autor de Buenos Aires Art Déco y Racionalismo, assim como o escritor Ruy Castro, que falará sobre um dos ícones mundiais do estilo, Carmen Miranda, e a historiadora Lia Mônica Rossi que abordará sua especialidade, o Art Déco Sertanejo.

Importado da França, assim como o Art Nouveau, estilo assimétrico e orgânico que o precede, o Art Déco introduziu no início do século 20 uma estética geométrica, moderna, acompanhada dos fundamentos de produção em massa de bens duráveis com bom desenho a preços acessíveis para a sociedade de consumo que se prefigurava. Sacramentado com a abreviação de artes decorativas decorrente do título da feira Exposition Internationale des Arts Décoratifs et Industriels Modernes, que ocorreu em 1925, em Paris, o estilo teve apogeu na Europa nas décadas de 1920 e 1930, mas no Brasil perdurou até os anos 50. "O Rio, capital da República, viu nascer no governo Vargas, entre 1930 e 1945, uma série de prédios governamentais, a maioria Art Déco. Em 1938, Getúlio promoveu a exposição O Brasil Novo, tornando o estilo a linguagem oficial do período. A população passou a imitar a estética associada ao poder, o que é uma decorrência natural", explica Roiter. Outro fator da sua longevidade no País é o fato de durante a Segunda Guerra (1939-1945) os portos do Rio e de Santos terem sido inundados por estoques de objetos e mobiliário do continente europeu em crise que passaram para o acervo decorativo do lar brasileiro.

Mas o Art Déco não contemplou somente bibelôs. Uma de suas vertentes mais expressivas é a arquitetura, alvo dos passeios por São Paulo dos 200 congressistas, entre brasileiros e estrangeiros, que serão recebidos em prédios tombados como a Biblioteca Mário de Andrade. Também localizado no centro, na Praça Antonio Prado, o edifício do antigo Banco de São Paulo (1938), que atualmente é sede da Secretaria de Estado da Juventude, Esportes e Lazer, constitui um dos exemplares mais representativos na arquitetura paulistana.

"É o mais belo prédio no segmento de edifícios comerciais do período na América Latina", afirma Roiter categoricamente. "Outro exemplo é o Jockey Club, inaugurado em 1941. Mas foi na década de 1950, que o arquiteto Henri Sajous, renomadíssimo na França, promoveu a reforma que remodelou sua linha arquitetônica para o Art Déco. Os filhos de Sajous, Christine e Philippe, vêm da França para conhecer a obra do pai", acrescenta.

Outros lugares que serão visitados são o Instituto Biológico (1945), o Edifício Altino Arantes (1947), conhecido como prédio do Banespa, o Edifício Saldanha Marinho (1938), sede da Secretária de Estado da Cultura, um dos primeiros arranha-céus da cidade, e o Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho (1941). O grupo também fará visitas à Fundação Escultor Victor Brecheret, à Coleção Victor Brecheret na Pinacoteca do Estado e ao Monumento às Bandeiras, um dos símbolos da cidade, inaugurado em 1954, mas encomendado desde 1921 ao ítalo-brasileiro Brecheret (1894- 1955), o maior representante da escultura Art Déco paulista.

Serviço

11º Congresso Mundial de Art Déco

11 a 13 de agosto em São Paulo

14 a 21 de agosto no Rio de Janeiro

Site www.congressoartdecorio.com

11º CONGRESSO MUNDIAL DE ART DÉCO

Informações: www.congressoartdecorio.com

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.