À direita, o arranha-céu 'Walkie Talkie', durante sua construção, em setembro de 2013. Foto: REUTERS/Stefan Wermuth
À direita, o arranha-céu 'Walkie Talkie', durante sua construção, em setembro de 2013. Foto: REUTERS/Stefan Wermuth

Prédio de Londres que 'derrete carros' ganha prêmio de aberração arquitetônica

Conhecida oficialmente como 20 Fenchurch Street, a torre de 37 andares na City, o distrito financeiro, foi apelidada de 'walkie talkie'

Estelle Shirbon, Reuters

03 de setembro de 2015 | 09h57

LONDRES - Um arranha-céu de Londres que rendeu manchetes por refletir a luz solar com tanta intensidade que derreteu partes de um Jaguar estacionado na rua foi premiado com a "Taça Carbúnculo", concedida a projetos considerados aberrações arquitetônicas.

Conhecida oficialmente como 20 Fenchurch Street, a torre de 37 andares na City, o distrito financeiro de Londres, foi apelidada de "walkie talkie" por sua forma curva antes do incidente do derretimento, ocorrido em 2013, que motivou uma nova alcunha: "walkie scorchie" (derretedor ambulante, em livre tradução).

Organizada pela revista Business Design, a Taça Carbúnculo é concedida por um conselho de críticos de arquitetura que levam em conta comentários enviados por seus leitores. O prêmio deste ano foi para o "walkie scorchie" por decisão unânime dos jurados.

Um deles, Ike Ijeh, disse que os planejadores urbanos da City também tem culpa por aprovarem o que classificou como “uma gárgula de vidro sem sentido no horizonte de Londres”, projetado pelo renomado arquiteto uruguaio Rafael Vinoly.

“Se algo resume o que torna um edifício um carbúnculo, é isso”, escreveu Ijeh em um artigo no site da Business Design.

Tudo o que sabemos sobre:
LondresArquitetura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.