Arquiteto Calatrava é acusado em caso de licitação irregular

Uma corte de Castellón convocou nesta quarta-feira o arquiteto Santiago Calatrava a depor como acusado em uma investigação sobre supostas irregularidades na contratação de projetos para um centro de convenções que acabou não sendo construído devido à crise econômica, segundo informações do Tribunal Superior de Justiça de Valência.

REUTERS

06 de agosto de 2014 | 14h46

Além de convocar o arquiteto para o depoimento no dia 2 de setembro, a corte de instrução número dois de Castellón solicitou à empresa Santiago Calatrava GMBH que apresente os planos, o anteprojeto e o projeto para o Centro de Convenções de Castellón, elaborados em 2008.

O centro, cujo projeto custou à Generalidade Valenciana (conjunto de instituições de autogoverno da comunidade de Valência) 2,7 milhões de euros, segundo alguns meios de comunicação, não chegou a ser construído, e os tribunais chamaram a depor também o ex-secretário autônomo de Fazenda, Eusebio Monzó, e outras autoridades para que informem sobre supostas irregularidades nas contratações relacionados ao centro.

Não é a primeira vez que o arquiteto, vencedor do Prêmio Nacional de Arquitetura da Espanha e do Prêmio Príncipe das Astúrias de Artes, é convocado a depor na Justiça.

O Tribunal Superior de Justiça de Astúrias o condenou este ano por falhas na construção do Palácio de Congressos de Oviedo, e a Generalidade Valenciana o processou em 2013 por falhas na construção do Palácio de Artes Reina Sofía de Valência.

(Reportagem de Inmaculada Sanz)

Tudo o que sabemos sobre:
GENTECALATRAVAACUSACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.