Arqueólogos acham "obra-prima" grega

Uma estátua de 2.600 anos encontrada na Grécia foi identificada como "obra-prima" pelo arqueólogo alemão Wolf-Dietrich Niemeier, chefe das escavações no cemitério de Kerameikos, perto da antiga ágora (praça do mercado) de Atenas. A peça - quase completa _ foi atribuída nesta sexta-feira ao escultor conhecido como Dipylos, nome da localidade em que suas obras foram encontradas.Há uma escultura de Dipylos no Metropolitan Museum de Nova York e outra no Museu Arqueológico de Atenas. Ele é tido como o primeiro grande escultor grego, mas nada se sabe sobre ele, nem mesmo o verdadeiro nome. Pela semelhança dos traços faciais, tipo de corpo e desenho dos cabelos, acredita-se que as três esculturas sejam desse mesmo autor (ou grupo de artistas).A "nova" estátua foi descoberta em março, junto com outros tesouros, incluindo esculturas que representam dois leões e uma esfinge. Todas as peças datam do Período Arcaico (entre 900 e 510 a.C.). As escavações na área começaram há 140 anos e fragmentos de várias estátuas humanas (kouros) já foram encontrados. Mas é muito raro encontrar uma peça tão completa quanto o atual achado (que tem 2,1 metro de altura), ao qual faltam alguns pedaços das pernas e do rosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.