Argentina vai fazer Bienal do Fim do Mundo

A cidade de Ushuaia, na Argentina, foi escolhida como sede da primeira Bienal do Fim do Mundo, que propõe a união entre os pólos Sul e Norte por meio da arte e terá uma forte mensagem ecológica. O encontro, que será realizado de 29 de março a 29 de abril, vai reunir artistas de Canadá, Alemanha, França, China, Noruega, Brasil e Argentina, entre outros - já confirmaram presença nomes como Alex Fleming, León Ferrari e Fred Forrest.Um dos destaques da mostra será a obra Sentinela da Mudança Climática, de Joaquín Fargas, um girassol gigante cujas pétalas registram as mudanças no clima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.