Arena Anhembi recebe o pop do pop

Pop Music Festival 2012. O nome é direto, e a escalação não mente: hoje, a partir das 19h, a Arena Anhembi recebe o mainstream do mainstream, o espetáculo do espetáculo, para uma noite de blockbusters do pop que deve lotar o fundão do Sambódromo. J-Lo, Kelly Clarkson, Paris Hilton, Cobra Starship e Michel Teló devem trazer um largo contingente de fãs em busca de sucessos de FM, coreografias e todo o resto que o glamour hiperproduzido destes nomes tem a oferecer. Michel Teló será o primeiro a subir no palco. Agora que Ai Se Eu Te Pego tornou-se língua franca - a Garota de Ipanema do século 21 (sei que mencionar as duas na mesma frase é um sacrilégio para muitos, mas não se pode ignorar a popularidade Teló) - o popstar sertanejo tenta emplacar a sua segunda, o já hit Humilde Residência, em um patamar semelhante. (Para quem não suporta Ai Se Eu Te Pego, Humilde Residência traz até um certo alívio, com infraestrutura melódica palpável e humor). Será também o primeiro grande show de Teló no Brasil, em um line up internacional que comprove fisicamente seu status de estrela da internet. Muitos de seus achincalhadores (aqueles que xingam tanto que acabam ficando com Ai Se Eu te Pego presa no ouvido) se surpreenderiam com a qualidade de sua voz, com seu carisma e habilidade de conquistar uma plateia.

ROBERTO NASCIMENTO , O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2012 | 03h08

Em termos de gênero, a estrela mais próxima de Teló é Kelly Clarkson, que toca às 21h30 e deve ser motivo de delírio adolescente. Clarkson não é uma diva estritamente country, como Taylor Swift, mas tem um pé no gênero, embora transite pelo r&b com igual facilidade. Sua Ai Se Eu Te Pego chama-se My Life Would Suck Without You, hino de paixonite adolescente de 2007. Será interessante descobrir se Clarkson, que não é uma cantora dada a espetáculos com o mise-en-scène sensual (dançarinos ondulantes e aquelas coisas todas) cantará com playback ou guia. Clarkson realmente sabe cantar. Foi a primeira vencedora do American Idol e deve ostentar seu vozeirão em baladas, onde se destaca.

O nome a fechar a noite, antes de Paris Hilton fazer um DJ set que em meio a todo o carnaval pop deve ser, no mínimo, engraçado, é Jennifer Lopez.

A polivalente J-Lo (atriz, apresentadora de reality shows e cantora) considerada a mais lucrativa do último ano (a revista People pagou US$ 6 mi para ter acesso a fotos de seus gêmeos recém nascidos) não está exatamente na crista de sua popularidade musical. Mas sua onipresença midiática a coloca em um ápice de sucesso (nada mal para quem está na pista desde 1999). J-Lo lançou, no ano passado, o disco Love?, seu primeiro em quatro anos, com uma lista de anabolizadas faixas de pista. Certamente farão a empolgação da Arena Anhembi, neste sábado à noite, pois a preferência do público pop por um bate-estaca tem sido quase unânime ultimamente. Além de seus clássicos, deve mostrar o novo hit dance-lambada On The Floor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.