Imagem João Wady Cury
Colunista
João Wady Cury
Palco, plateia e coxia
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Arcênico: Petrin volta com 'Aeroplanos'

Peça foi escrita pelo argentino Carlos Gorostiza e adaptada por ele

João Wady Cury, O Estado de S.Paulo

13 Abril 2017 | 02h00

Em um país que trata a velhice com descaso, o ator Antonio Petrin só poderia comemorar. Lança Aeroplanos no próximo dia 5 de maio, no Cacilda Becker, a terceira peça do projeto Velhos Protagonistas. Não é pouco para quem se dedica há quase 20 anos a falar sobre a terceira idade nos palcos do País. Começou com A Última Gravação de Krapp, de Samuel Beckett, seguida de Um Merlin, de Luis Alberto de Abreu. A peça foi escrita pelo argentino Carlos Gorostiza e adaptada pelo próprio Petrin, que, ao lado de Roberto Arduin, compõe o elenco dirigido por Ednaldo Freire.

CLUB NOIR TRAZ FERNANDO EIRAS A SP

São Paulo saiu ganhando mais uma vez. O ator carioca Fernando Eiras está de volta à cidade, agora para a montagem de Kiev, de Sergio Blanco, com a dupla Juliana Galdino, com quem vai contracenar, e Roberto Alvim, o diretor do espetáculo. Os ensaios estão acontecendo no Club Noir. Ator formado no Tablado e depois adotado por uma linhagem de artistas ligados ao Teatro Ipanema, como Rubens Corrêa e Ivan de Albuquerque, Eiras esteve recentemente na cidade com dois espetáculos: In On It, com direção de Enrique Diaz, e Os Realistas, dirigido por Guilherme Weber, ambas as peças com Emilio de Mello no elenco. 

ÊXODO CARIOCA PARA O TEATRO PAULISTANO

Aliás, Fernando Eiras é apenas um de vários artistas cariocas, atores e atrizes, antes moradores do Rio de Janeiro, que vieram de mala e cuia para São Paulo fazer teatro. Estão pela cidade Malu Galli, Rodrigo Pandolfo, Shirley Cruz, Nina Morena e Suzana Ribeiro. Ao que parece, o mesmo efeito do teatro tem se dado na música, com intérpretes desembarcando aqui, vindos do Rio.

LA MÍNIMA CHEGA AO SESI EM MEDIDAS NATURAIS

Os 20 anos da companhia La Mínima têm uma comemoração imperdível: exposição que abre hoje para o público com fotos em tamanho natural dos artistas, além de objetos e figurinos numa área de 250 metros quadrados no SESI, na sua sede, na Avenida Paulista. Só assim para se ter ideia da trajetória de uma das boas companhias de circo e teatro do País, que produziu 14 espetáculos e agora lança um novo espetáculo, Pagliacci. O foco, claro, são os dois criadores da trupe: os atores Domingos Montagner, morto recentemente, e Fernando Sampaio. O desenho acima, aliás, foi feito pelo próprio Montagner para caracterizar um clown criado por ele. 

3PERGUNTAS PARA TEUDA BARA

Atriz do Galpão, cuida de plantas fora do palco

1. O que é ser atriz?

Abdicar de sua vida e viver a vida do personagem.

2. Com qual personagem de teatro se parece?

A minha, em Nós. Tudo lá sou eu.

3. Uma situação inusitada em cena.

O pivô do meu dente quebrou e caiu durante uma peça. Coloquei o leque na frente para despistar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.