Marcelo Castro
Marcelo Castro

ArCênico: O homem no coração da mulher

A história do general Macbeth e de sua Lady Macbeth vai ao palco no segundo semestre pelas mãos do casal Djin Sganzerla e André Guerreiro Lopes

João Wady Cury, O Estado de S.Paulo

05 Julho 2018 | 02h00

A poesia transborda do palco pela imagem que o homem parado ali constrói em sua narrativa sobre amor, desamor e morte. Fala sobre o período em que viveu no interior do coração de uma mulher. Ele e uma menina que encontrou dentro do coração porque se escondia da morte. A partir do texto de Raysner de Paula, o ator Eduardo Moreira, um dos criadores do grupo mineiro Galpão, coloca esse homem em cena e suas diversas maneiras de dar vida à história na peça Danação. Direção de Marcelo Castro e Mariana Maioline. A estreia está marcada para o dia 28 de julho e fica em cartaz até 25 de agosto. Aos sábados, às 19h30, e domingos, às 18h30.

O IMPRONUNCIÁVEL

Macbeth, claro, a peça do bom e velho Will Shakespeare. A história do general Macbeth e de sua Lady Macbeth vai ao palco no segundo semestre pelas mãos do casal Djin Sganzerla e André Guerreiro Lopes, que também dirigirá a montagem. O processo já se iniciou e dia 8 de agosto, no Itaú Cultural, será feita uma leitura pública pelo elenco do texto do bardo e lançamento do Projeto Macbeth.

PRÓLOGO CANINO- OPERÍSTICO

Outro espetáculo mineiro que chega a São Paulo é Prólogo Canino-Operístico. Trata-se de um longo poema cujo protagonista é um cachorro. É… O pobrezinho é oprimido pela obrigação de aparecer e, apesar de estar trancado em um teatro, precisa encenar algo para a plateia. Não bastasse isso, diz ainda que o autor do poema é que deveria estar ali, no palco, em seu lugar. Escrita por Carlito Azevedo, a peça tem no papel do cachorro o ator Marcelo Castro. Estreia dia 26 de julho no auditório do Sesc Ipiranga e fica em cartaz às quintas e sextas-feiras, às 21h30, até o dia 24 de agosto.

COISINHA PARTIMPIM

A inspiração foi a série Partimpim, de Adriana Calcanhotto, e foi assim que nasceu Lá Dentro Tem Coisa, com textos de Adriana Falcão, Rafael Gomes e Vinicius Calderoni, e direção de Renato Linhares. Tanto é que das nove músicas que compõem a peça nove são do disco Adriana Partimpim, de 2004, como Fico Assim Sem Você, Lição de Baião, Oito Anos, Ciranda da Bailarina. Fica em cartaz de 4 de agosto até 30 de setembro, no Teatro Folha, com Aline Deluna, Carol Garcia, Gabriel Stauffer, Lu Vieira, Thais Belchior e Thiago Marinho no elenco.

ELA NÃO QUER PAZ

Com mais de 20 peças no currículo, além de filmes e novelas, a atriz Bárbara Paz vai conversar com o público sobre sua carreira e seus personagens no programa Em Primeira Pessoa, série que aproxima artistas e público no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, no dia 31 de julho.

ENTREVISTA - CHRISTIANE TRICERRI É ATRIZ DO GRUPO ORNITORRINCO

1. Como morreria no palco?

Dançando, nua, fazendo Salomé.

2. Frase arrebatadora?

"Porque eu me fui com o outro... me fui sim. Tu também terias ido. Pois os braços do outro me arrastaram como uma corrente de mar e me teriam arrastado sempre." De Bodas de Sangue, de García Lorca.

3. Se não fosse atriz?

Estaria no manicômio. 

Mais conteúdo sobre:
teatro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.