Andrea Pedro
Andrea Pedro
Imagem João Wady Cury
Colunista
João Wady Cury
Palco, plateia e coxia
Conteúdo Exclusivo para Assinante

ArCênico: Cogumelo multimídia

Veja as últimas notícias sobre o mundo do teatro

João Wady Cury, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2017 | 02h00

Vivemos tempos partidos em que ruíram certezas e fórmulas. Como sempre, o teatro mostra essa imagem e reverbera o caos. Agora são três mulheres, nas peles de Helena Ignez, Djin Sganzerla e Michele Matalon na peça Tchekhov É Um Cogumelo, de André Guerreiro Lopes, que estreia dia 25 no Teatro Anchieta. Tem trechos de As Três Irmãs, de Tchekhov, e elementos multimídia. Atenção para uma rara entrevista de José Celso, do Oficina, feita em 1995 por Guerreiro Lopes.

XIX por 5

Lá vem o grupo XIX de Teatro. A partir deste sábado, 29, a trupe coloca em cartaz cinco peças de teatro, que resultaram de processos de pesquisa criados a partir de fevereiro deste ano. Acabaram de sair do forno e seguem até 12 de setembro na Vila Maria Zélia. E, o melhor, é tudo gratuito.

AS SAPATILHAS DE WILL

Atração imperdível esta semana, em Nova York, até domingo. É a releitura de A Megera Domada, do bom e velho Will Shakespeare, criada pelo Bolshoi. Está em cartaz no David H. Koch Theater, parte do Lincoln Center Festival. Direção do francês Jean-Christophe Maillot, do Les Ballets de Monte-Carlo, tem duas feras no palco: Ekaterina Krysanova e Vladislav Lantratov. Críticos apostam que essa é a nova cara do Bolshoi para o mundo.

DESCARTES 14.0

Nós e nossas repetições. Está de volta 14 anos depois o monólogo Paixões da Alma, de autoria de Marcelo Romagnol, com a atriz Claudia Missura em cena. É a adaptação teatral do último texto, que se saiba, escrito por René Descartes e trata de uma mulher que, enquanto prepara uma refeição, faz digressões para que os viventes não sejam pegos pelas paixões - numa visão mecanicista e racional da vida. Estreia prevista para dia 3 de agosto, no Espaço Beta, do Sesc Consolação.

SEGURA A BIGORNA!

Sim, sim, ela está de volta e pode cair na sua cabeça. Talvez seja bom, oxalá traga novos ventos para o teatro brasileiro. Trata-se de uma publicação do grupo do Teatro Oficina, cujo número zero foi lançado em 1995 e depois teve edições esparsas. Chega com texto do diretor José Celso Martinez Corrêa sobre a remontagem de O Rei da Vela prevista ainda para este ano. Mas há também outros temas do gosto do grupo, como Bacantes, a questão urbana do Anhangabaú e a proposta de criação de uma nova economia para a cultura brasileira. A ver.

GATO POR LEBRE

Por desatenção do signatário, o nome do ator Luciano Gatti, que está no elenco de Se existe Ainda Não Encontrei, foi grafado incorretamente na edição passada da coluna.

3 PERGUNTAS PARA - Michelle Boesche - Atriz faz mestrado na USP

1. Como gostaria de morrer em cena?

Misturando ficção e realidade, fazendo um personagem que morresse em cena e fosse de verdade.

2. Qual peça foi uma revelação?

Hamlet, dirigida por Peter Brook.

3. Situação inusitada em cena.

Uma colega engoliu um alfinete e tive que dar as falas dela. Mas paramos a peça, não deu para continuar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.