Apresentadores de TV holandesa jantam barriga e nádegas humanas

Dois apresentadores de televisão holandeses cozinharam e comeram a carne um do outro, degustando nádegas e barriga fritas, ultrapassando os limites do mau gosto na noite de quarta-feira em um programa transmitido pela emissora holandesa BNN.

LIZA JANSEN, REUTERS

22 de dezembro de 2011 | 10h58

Um açougueiro sugeriu aos apresentadores, Dennis Storm e Valerio Zeno, quais eram os melhores cortes do corpo humano, e um cirurgião removeu pedaços de músculo da nádega esquerda de Storm e do abdômen de Zeno.

Um chef então fritou a carne, servindo-a para Storm e Zeno com aspargos verdes de acompanhamento.

Zeno descreveu a experiência como semelhante a comer um pedaço de pneu de carro, e levou um tempo para conseguir engolir seu pedaço.

Já Storm limpou o seu prato um pouco mais rápido e, brincando, comparou a própria "carne" com bife Kobe porque ele cuida bem do seu corpo e saúde.

"Isso é doentio", disse Anna Mees, de 25 anos, que assistia ao programa.

Storm e Zeno disseram que tiveram a ideia depois de ver o filme "Alive", sobre como membros de uma equipe de rúgbi comeram carne humana para sobrevier depois que o avião em que estavam caiu em um local remoto.

"Desde então eu sempre imaginei qual seria o sabor da carne humana", disse Zeno à Reuters.

Tanto Zeno quanto Storm disseram que não repetiriam a experiência porque ela envolveria mais cirurgia. O canibalismo é legal na Holanda.

"Só quando envolve maus tratos ou quando viola a decência comum o canibalismo é ilegal", disse à Reuters Gerard Spong, um advogado holandês especializado em direito criminal.

Alguns órgãos de imprensa, citando a BNN, divulgaram que a façanha, exibida no programa científico "Guinea Pigs" (Porquinhos da Índia), era uma brincadeira.

Mas o assessor de imprensa da BNN Thijs Verheij declarou à Reuters que a BNN nunca disse que se tratava de uma brincadeira e que a degustação de carne humana realmente aconteceu. Zeno mostrou à Reuters uma cicatriz em sua barriga, de onde a carne foi retirada.

A Holanda tornou-se terreno fértil para novos formatos de televisão. Foi o país que trouxe ao mundo o reality-show "Big Brother" em 1999.

Em 2007, o BNN levou ao ar o "show doador" onde uma mulher supostamente doente terminal doaria seu rim para um dos três candidatos com problemas renais.

No final daquele programa, o apresentador anunciou que a mulher era uma atriz e que o programa era uma brincadeira, e que a intenção era chocar as pessoas e fazê-las ver que o país não tinha doadores suficientes.

Tudo o que sabemos sobre:
ODDCANIBALISMO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.