Apreendidas em Portugal 27 falsificações de pintores importantes

Obras de Picasso, Miro, Matisse e outros possuiam certificado de autenticidade e eram vendidos em leilões

Efe

06 de setembro de 2010 | 11h08

LISBOA - A polícia Português apreendeu 27 pinturas falsificadas de Picasso, Miró, Renoir e outros grandes mestres da pintura de grande qualidade e com certificados de autenticidade, por sua vez também forjados, foi informado nesta segunda-feira, 6.

 

A Polícia Judiciária (PJ) lusa considera esta maior apreensão do país realizada nesta área e acredita que a quantidade e a qualidade das imagens apontam para redes internacionais de falsificação de obras de arte.

 

As pinturas, que eram por vezes vendidas a preços originais, foram localizadas em uma casa na cidade costeira de Cascais, a 25 km a partir de Lisboa, em poder de um cidadão português, de 55 anos, cuja identidade não foi revelada.

 

Embora não tenha emitido uma lista das falsificações, a Polícia Judiciária afirmou que no lote estão imitações de obras famosas de grandes pintores espanhóis, franceses e italianos, como Picasso, Miro, Matisse, Renoir, Chagall e Caravaggio.

 

Algumas das pinturas já tinham sido introduzidos nos canais de compra e venda de arte e leiloadas por quantias não especificadas, mas "alta", disse a polícia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.