Tiago Queiroz/Agência Estado
Tiago Queiroz/Agência Estado

Após rejeição de colegas, Carolina Herrera diz que aceita vestir primeira-dama dos EUA

A estilista venezuelana disse que caso isso aconteça, é por respeito aos Estados Unidos

Reuters, O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2017 | 12h04

A estilista Carolina Herrera, que vestiu cinco primeiras-damas dos Estados Unidos e fez o vestido usado por Ivanka Trump para o baile da posse de seu pai, o presidente dos EUA, Donald Trump, disse na segunda-feira, 13,  que vestiria a nova primeira-dama norte-americana com prazer.

"Não tenho nenhum problema em vestir a primeira-dama deste país, seja ela quem for", disse Carolina à Reuters, sem citar Melania Trump pelo nome, quando indagada se costuraria para a esposa do líder na estreia de sua coleção de outono para 2017.

"Acho que é por respeito aos Estados Unidos", explicou a designer nascida na Venezuela.

O mundo da moda está dividido sobre o tema desde que alguns estilistas, como Tom Ford e Sophie Theallet, disseram que não irão trabalhar com Trump.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.