Após polêmica, EUA escolhem sua nova Miss América

A aspirante a atriz da Broadway Lauren Nelson foi coroada, na segunda-feira, Miss América 2007 e os organizadores do concurso prometeram que ela terá um vida limpa, depois da série de escândalos envolvendo misses nos últimos meses. Em dezembro, a Miss EUA, Tara Conner, quase perdeu o título por consumo de álcool e por ter ido a boates de Nova York proibidas para menores. Ela prometeu se comportar e passou um mês em um programa de reabilitação. Outras duas vencedoras de concurso tiveram problemas recentemente. O empresário Donald Trump, dono das franquias Miss EUA e Miss Universo, demitiu a Miss Nevada, Katie Rees, depois de apareceram fotos comprometedoras dela na Internet. E a Miss Nova Jersey, Ashley Harter, saiu porque anunciou que estava grávida. Lauren, de 20 anos, foi Miss Oklahoma 2006, é estudante de teatro e recebeu como prêmio uma bolsa de estudos de 50 mil dólares. O presidente da Organização Miss América, Sam Haskell, disse que todas as participantes tiveram de assinar uma cláusula de moralidade quando entraram no concurso. "O concurso Miss América representa uma máquina de sonhos...e a Miss América é um exemplo, alguém em quem as meninas se inspiram", disse Haskell à Reuters por telefone. Apesar de os últimos escândalos terem irritado muita gente no mundo dos concursos de beleza, comentaristas lembram que nada deu tantas manchetes ao setor como estes casos -- o que pode aumentar também a audiência na TV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.