Após desfile da Dior, crescem dúvidas sobre sucessão de Galliano

A Dior permanecia em silêncio nesta sexta-feira sobre a busca de um estilista para substituir John Galliano, apesar do crescente clamor dos críticos, que não gostaram do segundo desfile da marca francesa desde que ela demitiu seu estilista-chefe.

REUTERS

30 de setembro de 2011 | 17h19

A Dior está sem um estilista-chefe há meio ano desde que despediu Galliano depois que ele apareceu em um vídeo que circulou na Internet fazendo declarações anti-semitas em um bar de Paris.

"Paciência", disse o diretor-executivo e chairman da Dior, Sidney Toledano, à Reuters depois do desfile. "Você entenderá quando o anúncio for feito. O timing está certo. Aqueles que sabem não falam e os que falam não sabem."

Os rumores cresceram durante a Paris Fashion Week, com conversas intermináveis sobre quem substituiria Galliano depois que reportagens da mídia indicaram que as negociações com Marc Jacobs não estavam indo bem.

(Por Astrid Wendlandt)

Tudo o que sabemos sobre:
MODADIORGALLIANO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.