João Miguel Junior/TV Globo
João Miguel Junior/TV Globo

Após 5 anos, Beatriz Segall volta à TV em 'Lara com Z'

Série estreia amanhã à noite na TV Globo

AE, Agência Estado

06 Abril 2011 | 11h01

Desfrutar das consequências que uma carreira artística gera, como fama e popularidade, não faz parte dos hábitos da atriz Beatriz Segall, 84 anos. Com 60 anos de carreira - que inclui 24 novelas e oito filmes -, ela comportava-se como uma novata entre jornalistas e companheiros de TV, para o lançamento de Lara com Z, nova série da Globo da qual ela faz parte do elenco. Sentada numa cadeira com o corpo levemente encurvado, segurava a bolsa junto do peito e trocava algumas palavras com os colegas Paulo Betti e Othon Bastos. Ela olhava para os lados e demonstrava não gostar da movimentação de fotógrafos. "Nossa! Mas por que tanta gente?", perguntou.

Beatriz parece ter esquecido a agitação do mundo da TV. E não demonstra curtir os flashes e compromissos burocráticos. Na coletiva de Lara com Z, que estreia amanhã, na Globo, a primeira coisa que ela perguntou, assim que chegou, foi se tudo aquilo iria demorar muito.

O desconforto dela é compreensível. Apesar de se manter quase sem interrupção no teatro - agora ela está em cartaz, no Rio, com Conversando com Mamãe, ao lado de Herson Capri -, há 5 anos Beatriz não faz TV. Seu último trabalho foi em Bicho do Mato (2006), na Record. Ela diz que nem viu o tempo passar. "Fiz muito teatro. Não tive tempo de sentir saudades da TV". Foi do diretor de Lara com Z, Wolf Maya, a proeza de trazer de volta à televisão a atriz até hoje conhecida pelo papel de Odete Roitman, na novela Vale Tudo (1988).

No Rio, onde mora, ela prefere ficar em casa. Não gosta, por exemplo, que a abracem para fotos. "Adoro ficar em casa, receber amigos". É lá que Beatriz curte seus dez netos, de três filhos (Sérgio, Mário e Paulo), acompanha a Globo News e, às vezes, liga no canal Viva, que está reprisando o clássico Vale Tudo. Ela garante que não vê a novela todo dia, nem gosta quando alguém diz que a vilã Odete Roitman foi a personagem mais marcante da sua carreira. "Não confunda as coisas. Aquilo lá foi único. A Odete foi o grande personagem da televisão, não da minha vida", diz a atriz. De fato, Beatriz está certa. Afinal, quando a vilã foi assassinada com três tiros no peito, mesmo sendo um sábado 24 de dezembro, a trama registrou 81 pontos de audiência no Ibope, com picos de 92.

Fazer uma atriz com tamanha experiência voltar a fazer TV não foi tarefa fácil para Wolf Maya. Para a atriz, não há nenhum papel que ela ainda tenha vontade de fazer para agregar à sua carreira. "Só gostaria de contracenar com pessoas como o Lima Duarte, que encontrei há muitos anos. Ele é um grande ator", diz. É por esses motivos que TV, daqui para a frente, ela só irá fazer se for minissérie ou série. Ou seja, nada de novelas e gravações diárias. O autor de Lara com Z, Aguinaldo Silva, se diz deslumbrado por ter Beatriz no elenco da atração. "Ela é uma atriz maravilhosa. Que bom que aceitou o convite", declara. As informações são do Jornal da Tarde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.