Apesar das críticas, Lindsay Lohan vai seguir com maison Ungaro

A "menina malvada" de Hollywood Lindsay Lohan vai continuar como assessora artística da maison de moda Emanuel Ungaro, apesar de sua primeira coleção ter sido mal recebida pela crítica, anunciou na terça-feira o presidente e executivo-chefe da maison, Mounir Moufarrige.

MARIE-LOUISE GUMUCHIAN, REUTERS

24 de novembro de 2009 | 17h36

As criações de Lohan estão vendendo bem, mas não tanto quanto se esperava, disse Moufarrige à Reuters. Elas foram expostas em outubro na Semana de Moda de Paris.

"Sim, ela vai ficar conosco. Ela tem um trabalho a fazer", disse ele nos bastidores da Cúpula Global de Moda de Milão.

Estrela de "Sexta-feira Muito Louca" e "Herbie: Meu Fusca Turbinado", Lohan se uniu à maison parisiense para infundir ânimo novo à grife envelhecida e atrair clientes mais jovens. Como assessora artística, seu papel é dar ideias à estilista chefe da casa, Estrella Archs.

A atriz de 23 anos fez jus a sua fama de garota festeira de Hollywood, expondo na coleção vestidos pink hipercurtos e blazers usados sobre a pele nua.

Ela levou os paparazzi ao delírio no museu do Louvre, onde o desfile aconteceu, criando exatamente o tipo de hype pelo qual esperavam os executivos da Ungaro.

Mas críticos de moda reagiram horrorizados às criações de Lohan, como sutiãs usados como tops e adesivos usados sobre os mamilos das modelos, à moda de strippers, e atribuíram notas negativas à coleção. Rumores vinham circulando sobre o futuro de Lohan com a Ungaro.

"As críticas foram impiedosas. Tenho certeza de que podemos fazer melhor na coleção, mas, para ser franco, acho que as críticas foram duras demais. A coleção vendeu bem", disse Moufarrige.

Tudo o que sabemos sobre:
MODALOHANUNGARO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.