APCA debate a crítica da crítica

A Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura promove a partir desta segunda-feira, no Centro Cultural São Paulo, o ciclo de palestras A crítica do crítica. Trata-se de um evento que visa a traçar os rumos e redescobrir a função da crítica cultural neste fim de século. O evento contempla cinco diferentes áreas: televisão, cinema, música popular brasileira, teatro e teatro juvenil. Críticos e artistas participam dos debates, entre eles José Wilker, Lauro César Muniz, Andrucha Waddington e José Miguel Wisnik. As palestras ocorrem sempre às segundas-feiras, às 19h30, durante todo o mês de outubro, e a entrada é franca. Os cadernos culturais e o espaço que reservam para a crítica. As múltiplas alternativas de analisar a produção cultural contemporânea. A necessidade da crítica frente à dispersa informação dos leitores. Show business versus a objetividade e a isenção da crítica. Estes são alguns dos temas que serão abordados pelos palestrantes. Televisão abre o ciclo. Os palestrantes são o autor de novelas Lauro César Muniz, o ator e diretor José Wilker, o escritor e diretor da Faculdade de Comunicação e Filosofia da PUC/SP Norval Baitello Jr, o diretor da TV PUC Gabrile Prioli e a crítica de televisão de O Estado de S. Paulo, Leila Reis, uma das organizadoras do evento. Qual crítica? - "Na verdade, nós temos muito poder, porque, ao contrário dos outros espectadores, nós temos os veículos onde escrevemos", explica Leila. "O que a gente quer, nesse momento em que os jornais abrem muito mais espaço para a cobertura cotidiana, é avaliar, discutir o tipo de crítica que estamos fazendo. Se ela ajuda ou se ela atrapalha. Trata-se de um balanço".O público alvo do evento, segundo Leila, é diversificado. "Jornalistas, produtores de cultura, estudantes, enfim, todo o pessoal que se interessar por arte", diz. Esta é a primeria vez que a instituição, promotora do anual prêmio da crítica da APCA, realiza esse tipo de evento.Programação - a partir de 2 de outubro, toda segunda-feira, às 19h30; Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000); Fone: 3277-3611; Entrada Franca.Televisão (2/10, na Sala Adoniran Barbosa) - Lauro César Muniz, autor, José Wilker, ator e diretor, Norval Baitello Jr, escritor e diretor da Faculdade de Comunicação e Filosofia da PUC/SP, Leila Reis, crítica de TV de O Estado de S. Paulo, Armando Antenore, crítico de TV da Folha de S. Paulo, e Gabriel Priolli, diretor da TV PUC/SP. Cinema (9/10, na Sala Lima Barreto) - Andrucha Waddington, diretor filme Eu, Tu, Eles, Carlos Reichenbach, diretor do filme Alma Corsária, Cleber Eduardo, crítico da revista Época, Luiz Carlos Merten, crítico de O Estado de S. Paulo e presidente da APCA. Teatro (9/10, na Sala Jardel Filho) - Silvana Garcia, professora da Escola de Arte Dramática - EAD/USP- e do Departamento de Artes Cênicas da ECA/USP, Aguinaldo Ribeiro Da Cunha, crítico do Diário Popular, Fábio Cypriano, crítico da Folha de S. Paulo, Sebastião Milaré, pesquisador e escritor, Sérgio De Carvalho, diretor, dramaturgo da Cia. do Latão e professor de Literatura Dramática do Departamento de Artes Cênicas da Unicamp. Música popular (16/10, Sala Adoniran Barbosa) - José Miguel Wisnik, escritor, compositor e professor de Literatura Brasileira da USP, Mauro Dias, crítico de O Estado de S. Paulo, Pedro Alexandre Sanches, crítico da Folha de S. Paulo, a cantora Rita Ribeiro e Helder Vasconcelos, integrante da banda Mestre Ambrósio.Teatro Infanto-Juvenil (30/10, Sala Jardel Filho) - Tatiana Belink, escritora, roteirista de teleteatro e comentarista de literatura e teatro infanto-juvenil, Dib Carneiro Neto, subeditor do Caderno 2 e crítico de O Estado de S. Paulo, Mônica Rodrigues da Costa, editora da Folhinha e crítica da Folha de S. Paulo, Débora Dubois, diretora e atriz, e Wladimir Capella, dramaturgo e diretor teatral.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.