Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Aos 80 anos, Peter Blake continua um artista alternativo

A música pop o adora. O "establishment" artístico o detesta. Aos 80 anos, o artista britânico Peter Blake é reverenciado por ter feito a capa do disco "Sgt. Pepper", dos Beatles, mas é visto como "alegre" demais para ser um dos grandes.

Reuters

21 de novembro de 2012 | 17h56

Alisando com frequência sua barba grisalha e amparando-se numa bengala para percorrer uma galeria no centro de Londres, o homem considerado o "padrinho da pop art" ainda luta para encontrar seu lugar no mundo da cultura contemporânea.

"É uma cruz que eu carrego", disse ele sobre o fato de não ser levado tão a sério quanto contemporâneos seus. "Talvez seja surpreendente que, na minha idade, com minhas enfermidades, eu ainda seja alegre", disse ele à Reuters na Waddington Custot Galleries, onde foi recentemente inaugurada sua exposição "Rock, Paper, Scissors" (pedra, papel, tesoura).

Ao seu redor estão desde as primeira aquarelas, pintadas aos 16 anos, em 1948, até "A Família", escultura concluída há poucos dias.

Blake admite que sempre precisa defender sua obra num mundo onde a arte "séria" é mais apreciada.

"Todos os pintores têm uma razão diferente para pintar - pode ser a política, pode ser a angústia, pode ser a raiva. Minha razão para pintar é fazer mágica e fazer coisas alegres."

(Reportagem de Mike Collett-White)

Tudo o que sabemos sobre:
ARTEBLAKEPERFIL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.