Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Aos 67 anos, morre o escritor, diretor e dramaturgo Alcione Araújo

Ele estava em Belo Horizonte (MG) quando sofreu um enfarte; ‘Há Vagas para Moças de Fino Trato’ foi peça que lhe deu projeção nacional

Ubiratan Brasil, de O Estado de S. Paulo,

15 de novembro de 2012 | 18h32

O escritor, diretor e dramaturgo Alcione Araújo morreu na madrugada dessa quinta-feira (15), em Belo Horizonte, aos 67 anos. Ele estava hospedado em um hotel no bairro da Savassi, junto da namorada e dos sogros, quando sofreu um enfarte. Ele morreu antes de ser atendido por um médico.

Mineiro de Januária, localizada no norte de Minas Gerais, Araújo morava desde 1978 no Rio de Janeiro, para onde seu corpo foi transportado. O velório acontece na sexta-feira (16) no Memorial do Carmo, no Caju, e, em seguida, o corpo será cremado.

Formado em engenharia e com mestrado em filosofia, Alcione Araújo ingressou ainda jovem em um curo de formação de atores. Quando estava com 29 anos, teve sua primeira peça encenada, Há Vagas para Moças de Fino Trato, com direção de Aderbal Freire-Filho. Ele ganhou projeção nacional quando o texto foi montado em São Paulo, com Glória Menezes, Yoná Magalhães e Renata Sorrah, sob a direção de Amir Haddad.

Araújo também escreveu outra peça de grande sucesso, Doce Deleite, de 1981, inicialmente encenada por Marília Pêra e Marco Nanini, brilhantes nos 12 esquetes cômicos.

Entre 2003 e 2007, ele se entregou a um projeto ambicioso: costurar a trajetória de personagens diversos que viveram no Brasil nos séculos 19 e 20, e, por isso mesmo, se confundiram com importantes momentos históricos. O resultado foi o romance Pássaros de Voo Curto (Record).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.