Tal Cohen/Efe
Tal Cohen/Efe

Aos 28 anos, Eleanor Catton é a vencedora mais jovem do Man Booker Prize

Escritora neozelandesa ganhou o prêmio nesta terça-feira em Londres

EFE

15 de outubro de 2013 | 19h19

Aos 28 anos, a escritora neozelandesa Eleanor Catton tornou-se hoje a vencedora mais jovem do Man Booker Prize, um dos mais importantes prêmios da literatura em língua inglesa, com seu livro The Luminaries. A obra é o romance mais longo a receber o prêmio, com um total de 832 páginas. Ambientado no século 19, na Nova Zelândia, o livro, que envolve assassinato e mistério, será lançado no Brasil em 2014, pela Globo Livros.

A escritora recebeu em Londres, no Guildhall, além do título, uma quantia de US$ 79,8 mil (cerca de R$ 175,3 mil). Catton tinha 25 anos quando iniciou o projeto do livro, que é somente o segundo da sua carreira.

O presidente do júri, o crítico Robert Macfarlane, elogiou a obra e a definiu como "um trabalho luminoso" e "vasto sem ser arrastado". Ainda de acordo com Macfarlane, aqueles que decidirem ler a obra terão que fazer um "grande investimento", já que é um livro "desafiador, com um começo lento".

Os outros concorrentes da neozelandesa eram NoViolet Bulawayo (We Need New Names), Jhumpa Lahiri (The Lowland), Ruth Ozeki (A Tale for the Time Being), Colm Toibin (O Testamento de Maria), e a outra principal aposta, Jim Crace (Harvest).

No ano que vem, o Man Booker Prize deixará de aceitar somente escritores do Reino Unido, da Irlanda e dos outros 54 países que compõem a comunidade britânica. Com isso, qualquer autor que escreva em língua inglesa e publicado no Reino Unido, independentemente da nacionalidade do escritor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.