Aos 15 anos, já estreava na poesia

Amigo de Braguinha e Ataulfo Alves, frequentador da Lapa, da Fiorentina. Mário Lago se dizia "endocrinologicamente carioca". Nasceu a 26 de novembro de 1911, no centro do Rio, onde a cidade, à sua época ainda gentil, também nascera. Era neto de músicos. Estudou piano com Lucilia Villa-Lobos, a primeira mulher do maestro. Publicou poema já aos 15 anos. Não era saudosista, mas adorava desfiar seus causos - nas salas de atores da Globo, à mesa do bar. Como o da vez que viu o grande pianista polonês Arthur Rubinstein vestido de baiana, num bloco de sujos, levado por Villa. E da saudação de Orestes Barbosa ao vê-lo com Custódio Mesquita, ambos galãs: "Lá vão o lago e o cisne."

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

03 de fevereiro de 2011 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.