Antunes: ''a missão é fascinante''

Impressiona a lista dos compromissos musicais de Celso Antunes, o novo regente associado da Osesp, só no primeiro semestre. Ele e seu Coro da Rádio Holandesa participam do concerto dia 25, no Concertgebouw de Amsterdã, onde o maestro Simon Rattle rege sua Filarmônica de Berlim na Sinfonia n.º 3 de Mahler; em 4 e 6 de março, ele e seu coro participam da Sinfonia n.º 8, "dos Mil", de Mahler, com a Orquestra do Concertgebouw dirigida por seu titular Mariss Jansons; e, dia 20 de março, reencontra-se em Utrecht com a regente titular da Osesp, Marin Alsop, que rege As Sete Palavras, de Tristan Murail. Em abril rege Haydn e MacMillan em Genebra; em maio/junho é a vez da música contemporânea.

, O Estado de S.Paulo

19 de fevereiro de 2011 | 00h00

Até agora, sua ligação visível com o Brasil era com a Camerata Fukuda, que regeu todos os anos, e com a qual gravou dois ótimos CDs. Sobre sua chegada à Osesp, diz: "A missão é fascinante: é uma orquestra em ascensão no cenário internacional e é um privilégio estar associado a esse desenvolvimento. Já trabalhei com Marin algumas vezes. É uma colega maravilhosa, musicista de mão cheia".

Com a Osesp, Celso Antunes fará três programas em 2012. "Começo em fevereiro, com a gravação em CD das obras do Almeida Prado. Em março, vou reger Das Lied von der Erde e completar o ciclo Mahler. Em agosto, o programa deverá incluir uma obra-chave do repertório contemporâneo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.