Antonio Prata reúne crônicas em livro

Um espião duplo. É assim que sesente o escritor Antonio Prata quando escreve crônicas para arevista Capricho. Aos 26 anos (quando começou a escrever tinha23), ele explica que as lembranças da adolescência continuamfrescas na memória, mas que ainda acha estranho ser adulto. Aobservação dos dois universos, mas já com uma autocrítica dafase anterior, lhe permite escrever crônicas divertidas sobre ostemas mais recorrentes no universo teen, como dietas, internet,virgindade, padrões de beleza, namoro, silicone e escolha daprofissão, por exemplo. A maioria dessas crônicas ele reúne emseu quinto livro Estive Pensando, lançado pela Editora Marco Zero (R$ 19,00). Antonio Prata cursa Ciências Sociais, na PUC, e escrevepara outras revistas, sites e até para a tevê. Recentementeassinou co-autoria em dois episódios da série Sexo Frágil, daRede Globo de Televisão. Prata sempre gostou de ler, um poucopela influência dos pais escritores, os jornalistas Mario Pratae Marta Góes, e também pelo incentivo das escolas em queestudou. Mas virar escritor foi quase sem querer. Apesar do humor constante, os textos do jovem autortrazem sempre uma mensagem positiva, um alerta ou um estímulo àsadolescentes. "A vantagem de escrever com humor é que possofalar o que quiser e mal de quem quiser. A desvantagem é queninguém leva a sério." Em Eva Tinha Celulite? ele escreve que ter vergonha docorpo é tão antigo quanto andar pra frente. E o escritor aconselha: "Neste verão, esqueça os olhos de Deus edos meninos, que estão por toda a parte e que tudo vêem, e tenteaproveitar a praia, o sol, o mar. Se até Eva sobreviveu, vocêtambém sobreviverá. E encontrará muitas pessoas interessadas emdividir com você aquele fruto que - ainda bem - já não é maisproibido." Antonio Prata escreveu seu primeiro livro Cabras, em1999, em co-autoria com três amigos. Em 2001, lançou Douglas(contos e crônicas); e Escola Viva, também de crônicas comlembraças de sua fase entre 0 e 6 anos. Para isso, passou doismeses na sua antiga escola ao lado das crianças. A quarta obra,lançada este ano, chama-se Pernas da Tia Corália. E ele jáprepara novas crônicas para um livro com o título provisório deClaudiomiro Continua Contando.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.