Antônio das Mortes volta a parabellum

Procura Obsessiva

LUIZ CARLOS MERTEN, O Estado de S.Paulo

05 de setembro de 2012 | 03h10

15H40 NA GLOBO

(Little Girl Lost: The Delimar Vera Story). EUA, 2008. Direção de Paul A. Kaufman, com Judy Reyes, Ana Ortiz, Hector Luis Bustamante, Marlene Forte, A. Martinez, Jillian Bruno.

O drama de uma mãe cuja filha foi dada como morta num incêndio. Ela procura o bebê, convencida de que houve um sequestro e a reencontra anos depois, adotada por uma família que briga na Justiça pela guarda da criança. Prepare o lenço. O choro corre solto. Reprise, colorido, 100 min.

Gigante

22 H NA CULTURA

(Gigante). Uruguai/ Argentina/ Espanha/Alemanha, 2009. Direção de Adrián Biniez, com Horacio Camandule, Leonor Svarcas, Ignacio Alcuri, Fernando Alonso Diego Artucio.

O horário da Mostra resgata o filme uruguaio sobre o tímido segurança de um supermercado que se apaixona por faxineira, a quem segue pelas câmeras de vigilância. O diretor Biniez constrói seu filme nos detalhes, mas o que ajuda a fazer a diferença é o elenco - Horacio Camandule e Leonor Svarcas são excepcionais nos papéis. A emissora exibe o filme dublado na sexta-feira. A exibição de hoje tem legendas. Reprise, colorido, 84 min.

A Guerra do Chocolate

23 H NA REDE BRASIL

(Bootleg). Austrália/Reino Unido, 2002. Direção de Ian Glamou, com Steven Geller, Gemma Jones, Martin Jarvis.

Dois adolescentes resolvem burlar a lei que proíbe a fabricação e venda de chocolates em uma pequena cidade. Eles instalam sua fábrica artesanal no subsolo de uma doceria, vendem os produtos ilegalmente. Descobertos, mobilizam a comunidade para lutar contra o autoritarismo. Uma nova forma de enquadrar/encarar a rebeldia juvenil, mas não espere grande coisa. Reprise, colorido, 108 min.

Velozes e Furiosos 4

0 H NA RECORD

(Fast & Furious). EUA, 2009. Direção de Justin Lin, com Vin Diesel, Paul Walker, Jordana Brewster, Michelle Rodriguez.

No quarto filme da série, Toretto se instalou na República Dominicana, mas cruza de novo com o agente encoberto do FBI, Paul Thomas. O diretor Lin fez também o filme seguinte, o quinto, que se passava no Brasil (mas teve poucas cenas filmadas no Rio). A ação é boa, mas, em matéria de conflitos, a aventura brasileira de Toretto (Vin Diesel) tem mais densidade - um pouco, pelo menos. Reprise, colorido, 107 min.

Disparo para Matar

4H30 NA REDE BRASIL

(The Shooting). EUA, 1967. Direção de Monte Hellman, com Millie Perkins, Jack Nicholson, Wil Hutchins, Warren Oates.

A Rede Brasil tem resgatado filmes importantes no horário. Este é o primeiro de dois westerns independentes que o diretor Hellman fez em 1965 - o outro foi Ride in the Whirlwind, ambos com Jack Nicholson, antes de estourar com Easy Rider, Sem Destino, em 1969. Os dois foram rodados no deserto de Utah, com expressiva utilização da paisagem. Dois mineiros são contratados por garota misteriosa para seguir a trilha de um desconhecido, mas desconfiam quando um pistoleiro junta-se ao trio. O filme subverte códigos tradicionais do gênero ao narrar uma história frequente nos faroestes - a vingança. Prepare-se - de muitos filmes os críticos dizem que têm finais surpreendentes. Este é, de verdade, impactante. Reprise, colorido, 82 min.

TV Paga

O Papai da Noiva

14 H NO TCM

(Father of the Bride). EUA, 1950. Direção de Vincente Minnelli, com Spencer Tracy, Elizabeth Taylor, Joan Bennett, Billie Burke, Leo G. Carroll, Don Taylor, Russ Tamblyn.

A jovem Elizabeth Taylor é um assombro de tanta beleza nesta comédia que oferece uma visão muito interessante da vida norte-americana da época. Ela faz a garota que está se casando (com o ator e futuro diretor Don Taylor) e isso causa dores de cabeça em papai Spencer Tracy. Além de estar 'perdendo' sua garotinha, ele se preocupa com os custos da festa. Minnelli foi um dos grandes de Hollywood, com talento comprovado no drama, na comédia e, especialmente, no musical. O cartaz de hoje da TV paga é do mesmo ano de Sinfonia de Paris, An American in Paris, que ganhou o Oscar (e cujo balé final é uma insuperável obra-prima de cor e movimento). Só para constar - houve um remake de Charles Dyer, com Steve Martin, em 1991. Por mais simpático que fosse, não oferecia o 'plus a mais' - definição de Daniel Filho - que a direção de Minnelli garante aqui. Reprise, colorido, 93 min.

O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro

14H30 NO CANAL BRASIL

Brasil, 1969. Direção de Glauber

Rocha, com Maurício do Valle, Odete Lara, Othon Bastos, Jofre Soares.

O baiano Glauber Rocha fez filmes que revolucionaram a história do cinema brasileiro, como Deus e o Diabo na Terra do Sol e Terra em Transe, mas o mais palatável de todos, sem deixar de ser grande, é este 'western' que retoma o personagem Antônio das Mortes. Sempre com a parabélum na mão (e com sua capa mítica), ele vai parar em Jardim das Piranhas, às voltas com a guerra entre os seguidores de Coirana, que se apresenta como a reencarnação de Lampião, e as forças políticas da região. Glauber ganhou o prêmio de direção no Festival de Cannes - que lhe foi entregue por Luchino Visconti - e o filme se caracteriza por admirável uso da cor. Você não vai esquecer do vestido roxo de Odete Lara. Luiz Gonzaga (Assum Preto) e Pixinguinha (Carinhoso) integram a trilha. Reprise, colorido, 105 min.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.