Antonio Candido discute obra de Oswald

A herança estética da obra do escritor Oswald de Andrade continua viva, mais de meio século depois de sua morte. O projeto Palavra Viva, reúne hoje às 20 horas o crítico Antonio Candido, a psicóloga e diretora de dança Marília de Andrade e o cineasta Rudá de Andrade, para traçar uma biografia de Oswald. Marília e Rudá são filhos de Oswald. Durante todo o mês, no Sesc Pinheiros, haverá ciclo de leituras, palestras e depoimentos sobre o idealizador do movimento antropofágico. O escritor foi um dos principais incentivadores da Semana de Arte Moderna de 1922, cujo objetivo declarado era "assustar a burguesia que cochila na glória de seus lucros". Os sustos ainda continuam, mas não apenas na burguesia - os artistas que compreenderam e se alimentaram de sua inspiração antropofágica despontam como fiéis continuadores de uma ação renovadora. Na próxima semana, por exemplo, ocorre uma leitura de Memórias Sentimentais de João Miramar, com o teórico Jorge Schwartz e o ator Paschoal da Conceição. Já notabilizado por interpretar Mário de Andrade na TV e no teatro, Conceição pretende fundir as duas figuras, Oswald e Mário, que foram discordantes em muitos aspectos, mas é em Miramar e também em Macunaíma que se elogiaram mutuamente. No papel de Mário, o ator vai fazer comentários críticos. No dia 20, está programada a apresentação de poemas audiovisuais com João Alexandre Barbosa e Cid Campos. E, no último dia do projeto, 27, o diretor e ator José Celso Martinez Corrêa, ao lado da poeta e compositora Beatriz Azevedo e de músicos convidados, será discutido o teatro de Oswald de Andrade, além de sua confluência com a poesia e a música. "Sua imagem ainda é o de agitador cultural", comenta Rudá. Projeto Palavra Viva. Sesc Pinheiros/Auditório (100 lugares). Rua Paes Leme, 195, 3095-9400. Hoje, 20h. Grátis (retirar ingressos uma hora antes). Até 27/9

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.