Antologia traz voz de poetas mortos

Assim como no filme de Peter Weir A Sociedade dos Poetas Mortos, as obras dos grandes poetas do passado revivem, através da voz de seus criadores. Trata-se de uma extraordinária antologia reunindo livro e CDs, que acaba de ser lançada por uma pequena editora de Chicago. Poetry Speaks traz Alfred Tennyson, Robert Browning, Robert Frost, W.H. Auden, Robert Lowell e Sylvia Plath interpretando alguns de seus versos mais famosos.Assim, Walt Whitman lê um trecho de America, Frost deThe Road not Taken, Sylvia Plath de Daddy e Lady Lazarus. A antologia Poetry Speaks é composta por três CD´s e pretende atingir um público anglo-saxão com a tradição oral da poesia de língua inglesa. "Em toda cultura, a poesia emerge antes da escrita", diz Elise Paschen, encarregado da seleção das obras. Já a editora da obra, Dominique Raccah, afirma que "a poesia fala a un nível inconsciente e como amúsica, toca no profundo".Foram recolhidas vozes de 42 poetas:"as grandes vozes da poesia inglesa e norte-americana dos últimos 120 anos, sendo que muitas gravações são inéditas e outras, raras", explicou Dominique.O resultado do trabalho é tão desconcertante quanto mágico: as escritoras Gertrude Stein e DorothyParker têm vozes inesperadamente cálidas. E Carl Sandburg, por exemplo, lê Cool Tombs com um ligeiro sotaque sueco (o sotaque de seus pais).Algumas gravações são excepcionais: a voz de Tennyson quedeclama The Charge of the Light Brigade foi gravada sobrecilindros de cera por Thomas Edison, quando o poeta tinha pouco mais de 80 anos.How They Brought the Good News to Ghent deBrowning, pertence a um áudio conservado pela Biblioteca doCongresso e é práticamente incomprensível sem a ajuda do texto que acompanha o volume.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.