Antes de estrear novela, Daniel Boaventura lança DVD

Enquanto os vizinhos curtiam as novas bandas do efervescente rock nacional, nos anos 1980, Daniel Boaventura escutava Mozart, Ravel e Dvórak em casa. A influência dos pais, entusiastas da música erudita, mexeu com o gosto do ator, que ainda criança foi morar nos EUA e conheceu os standards, que foram parar no repertório do DVD - todo internacional, em inglês, italiano e espanhol - "Daniel Boaventura ao Vivo", que lança nesta quarta-feira no Teatro Abril.

AE, Agência Estado

19 de setembro de 2012 | 11h04

O gosto por canções que normalmente agradavam faixas etárias distintas à sua marcou Boaventura. "Quando eu tinha uns 10 anos, tinha uma namoradinha da escola para quem cantava Elvis (Presley), ela adorava", relembra o artista, de 42 anos, que escolheu clássicos como "New York, New York" e até músicas mais dançantes, como "Dancing Queen", para cantar no novo projeto. Todos com novos arranjos, para fugir do estereótipo do repertório de festas de debutantes e casamentos.

"Fazer uma releitura é arriscado. Eu não queria um rótulo de cover, pois não sei fazer idêntico. Quis cantar da minha maneira. A mudança rítmica é quase nenhuma", justifica o ator, em dúvida entre mais de 700 composições para gravar. "O produtor ficava desesperado. A cada dia eu levava uma música nova."

Entre as faixas do DVD está "Catch My Breath", uma letra de Diane Warren, autora de músicas como "I Don''t Wanna Miss a Thing", cantada pelo Aerosmith, e "Unbreak My Heart", sucesso meloso na voz de Tony Braxton. A canção inédita foi enviada pela compositora. "Meu material foi levado para os EUA e chegou mãos dela, que gostou", orgulha-se.

Com voz de barítono, Daniel Boaventura não conhecia a potência da própria voz. "Descobri acidentalmente. Não sabia que prestava para alguma coisa", brinca ele, que começou a cantar aos 15 e teve bandas de rock, reggae, MPB. Em 1994, ele enveredou pelos espetáculos musicais e passou quase uma década em cartaz com "Os Cafajestes", que o levou para a televisão. Sem combinar os dois ofícios, engatou nos palcos, em um segmento em que emenda um trabalho no outro. Por causa dos shows do novo DVD, ele se ausentará das apresentações de "A Família Addams", em cartaz até dezembro. Curiosamente, seu substituto, Cláudio Galvão, é tenor e foi dublador dos desenhos animados do Pato Donald.

Bem aceito no teatro e na TV, tem data certa para voltar às novelas. Em outubro, estará no remake de "Guerra dos Sexos" (Globo), como o muambeiro, Nenê. "É um cafajeste mimado pelas irmãs, vividas por Drica Moraes e Gloria Pires", diz, e elogia. "Elas são tão boas que nem tenho de atuar." As informações são do Jornal da Tarde.

DANIEL BOAVENTURA AO VIVO

Sony Music

Preço: R$ 39,90 (CD duplo ou DVD)

SHOW

Teatro Abril (Av. Brigadeiro Luís Antônio, 411). Tel. (011) 4003-5588. Quarta, às 21h. Ingressos: R$ 60 a R$ 120 (no site www.ticketsforfun.com.br, na bilheteria do teatro e nos pontos de venda credenciados).

Tudo o que sabemos sobre:
músicaDaniel Boaventura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.