Anna Nicole Smith morreu de overdose, dizem autoridades

Uma overdose acidental causou no mês passado a morte repentina da ex-coelhinha da Playboy Anna Nicole Smith, de 39 anos, disseram autoridades da Flórida na segunda-feira. A morte da viúva do bilionário J. Howard Marshall em um hotel-cassino da Flórida no dia 8 de fevereiro causou um frenesi da mídia e uma disputa legal sobre seu corpo e a custódia da filha de 6 meses, Dannielynn, que pode herdar milhões de dólares. "Estamos convencidos de que esse caso é de uma overdose acidental sem outros elementos criminosos presentes", disse a repórteres o chefe de polícia de Seminole, Charlie Tiger. Ele explicou que não há evidências de drogas ilegais no local e que detalhes da autópsia não mostraram evidências de doenças. Anna Nicole chegou no dia 5 de fevereiro ao hotel onde foi encontrada morta - ela planejava viajar, no dia 9, bordo de um iate que o companheiro, Howard K. Stern, pretendia comprar. De acordo com fontes, a ex-modelo raramente foi vista fora do quarto durante a estadia porque estava sofrendo de dores de barriga. Por conta da morte súbita, e também da morte suspeita de seu filho Daniel, de 20 anos, cinco meses atrás, especulava-se que o laudo revelasse possíveis atividades criminais relacionadas à tragédia. Casamento com magnata Anna Nicole Smith ficou famosa devido à batalha judicial com a família do ex-marido em torno da herança de J. Howard Marshall. O magnata morreu em 1995, 14 meses após o casamento. Anna decidiu entrar na Justiça para exigir a metade da fortuna do magnata, avaliada em US$ 1,6 bilhão. O dinheiro teria sido uma promessa do bilionário, quando, aos seus 90 anos, conheceu a voluptuosa loira em um cabaré de Houston, e a pediu em casamento. A dançarina, com 26 anos, fazia shows de top less, e aceitou a proposta. Ela, contudo, não foi listada no testamento de Marshall, que, ao morrer, deixou todas as ações de suas empresas e o resto de seu patrimônio para seu filho adotivo, Pierce, de 61 anos. Em 2002, Anna conseguiu na Justiça de Houston o direito a receber US$ 88 milhões (US$ 44,2 milhões em compensação e a mesma quantia em ?punição?) no processo que movia por calúnia e difamação contra Pierce. Mas a coelhinha recusou a decisão, alegando ainda ter direito a receber mais US$ 30 milhões da fortuna.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.