'Anjos e Demônios', com Tom Hanks, estreia amanhã

A principal crítica que o filme O Código da Vinci, de Dan Brown, recebeu quando estreou nos cinemas, em 2006, foi de que era confuso e uma espécie de ilustração da obra, já que o diretor Ron Howard preferiu fazer um roteiro fiel ao livro. Escrito três anos antes de Código, Anjos e Demônios, também de Brown e dirigido por Howard, chega amanhã aos cinema do Brasil. Para não receber as mesmas críticas, o diretor fez mudanças na história original. Fundiu personagens, eliminou cenas e deixou o trabalho mais realista, já que achou que, no livro, algumas passagens soavam inverossímeis.

AE, Agencia Estado

14 de maio de 2009 | 10h33

Com mais ação, além de cenas mais claras e mais diretas, Anjos e Demônios narra a primeira aventura do simbologista de Harvard Robert Langdon (Tom Hanks). O filme também foca a relação nada amigável entre o personagem e a Igreja Católica. E nada como uma boa controvérsia para ajudar a divulgar o filme: oficialmente, o papa Bento XVI não se pronunciou a respeito, mas os religiosos do Vaticano recomendaram aos católicos o boicote à produção, mesmo que isso não signifique a opinião oficial da Santa Sé.

A história se passa bem antes de Robert Langdon iniciar sua busca pelo Santo Graal e descobrir que Jesus Cristo teria tido um caso com Maria Madalena. O filme começa com a morte do papa e o sequestro, dentro dos muros do Vaticano, de quatro cardeais indicados à sucessão do pontífice. Após uma mensagem cifrada, a Santa Sé convoca Langdon na esperança de que ele, com seus conhecimentos de simbologia, consiga desvendar o mistério. Em sua jornada, Langdon é auxiliado pela cientista italiana Vittoria Vetra, interpretada pela israelense Ayelet Zurer.

Como fica claro logo no início, trata-se de uma conspiração comandada por um grupo de cientistas chamado Illuminatis. O objetivo deles seria a completa destruição do Vaticano, após pesquisadores do Centro Europeu de Pesquisa Nuclear (Cern) terem descoberto a ?partícula de Deus?. Também chamada de antimatéria, a minúscula partícula, armazenada em um dispositivo de vidro, é roubada do Cern e instalada dentro do Vaticano. As informações são do Jornal da Tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaestreiaAnjos e Demônios

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.