Anita Malfatti, a pintora da Paulicéia

Uma seleção de desenhos e pinturas de Anita Malfatti está em exposição até o dia 28, no novo centor cultural que a Caixa Econômica Federal inaugurou na Praça da Sé. E nesta noite, o BM&F inaugura uma pequena mostra com obras pontuais de sua autoria. Duas iniciativas complementares que, a partir de uma reflexão otimista, parecem revelar uma maior preocupação das instituições financeiras em valorizar a cultura nacional e possibilitam ao público interessado ter simultaneamente um apanhado mais amplo de sua produção - desde os clássicos Retrato de Mário de Andrade e Homem Amarelo (Caixa) aos magníficos A Chinesa e O Farol (BM&F). Afinal, os dois espaços ficam bastante próximos, as mostras são gratuitas e ainda podem render um interessante reencontro com o centro da capital paulista. A importância de Anita Malfatti como artista seminal do modernismo brasileiro, assim como seu recuo em direção a uma arte mais naturalista e singela, é uma dessas questões eternamente relembradas, mas de difícil constatação empírica. Até porque raras são as possibilidades de ver um conjunto significativo de obras da pintora reunido num mesmo local. Aproveitando o ensejo das comemorações dos 450 anos de São Paulo e demonstrando uma certa preocupação em resgatar a obra de Anita, as duas instituições decidiram incluir com destaque em suas programações mostras com obras importantes da artista, talvez tivesse sido mais profícuo realizar um evento único, num espaço capaz de ampliar a visibilidade das obras.Anita Malfati - Espaço Cultural BM&F (De seg. a sexta, das 10h às 17h. Praça Antonio Prado, 48, tel.: 3119-2404). Até 23/4. Abertura hoje, às 18h30. Conjunto Cultural da Caixa (De ter. a dom. das 9h às 21h. Praça da Sé, 111, Tel.: 3107-0498). Até 28/3.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.