Anima 2000: resultados no Rio são prévia de SP

Aida Queiroz, uma das diretoras do 8º Festival Internacional de Animação do Brasil - o Anima Mundi 2000 - já adiantou que os ganhadores da etapa carioca do evento foram um reflexo da integração cada vez maior entre público e participantes. As mais de 28 mil pessoas que circularam pelo festival no Rio (um recorde de público desde 93, quando foi criado) questionaram mais, discutiram mais e escolheram mais criteriosamente suas animações preferidas. Por conta disso na etapa paulista, que começa nesta quarta no Museu da Imagem e do Som e no Centro Cultural da Fiesp, as coincidências com o palpite carioca devem ser muitas. Pois desde que o festival vem a São Paulo, essa característica mais crítica e menos entusiasta (o que não quer dizer menos apaixonante!) foi sempre o diferencial da platéia paulistana. Na categoria Melhor Filme, o primeiro lugar ficou com A Suspeita, do português José Miguel Ribeiro, uma animação simples em um tempo razoavelmente longo (25 minutos), feita com bonecos, que conta uma divertida história de um homem que, num trem, suspeita estar sentado ao lado de um criminoso de alto risco. Merecido e até previsível que o melhor filme fosse para Portugal (o outro filme lusitano, A Noite, talvez não tenha ganhado somente por se tratar de um tema mais sombrio, pois a técnica é igualmente primorosa). O 2º lugar foi para Chiken Kiev, do alemão Thomas Stellmach, uma técnica mista de computação gráfica e desenho manual, que provavelmente conquistou o público por causa da historieta meiga, sobre um pintinho recém-nascido e perdido. O 3º lugar foi de Deus é Pai, do brasileiro Allan Sieber, uma engraçadíssima sessão de análise em que O Todo Poderoso leva seu filho mais querido, Jesus Cristo, ao terapeuta, pois não consegue mais compreender as revoltas do garoto. Allan Sieber também ganhou na categoria Melhor Filme Brasileiro.Cocou, Monsieur Edgar!, do canadense Pierre Trudeau, venceu como Melhor Filme Infantil - um conto de 13 minutos, que conta a surpresa que o senhor Edgar tem, ao perceber que um ninho com três ovos vai parar dentro de sua casa. Melhor Vídeo Brasileiro foi para Roubada, filme produzido por Maurício Vidal, Renan de Moraes e Sérgio Yamasaki, com recursos do Prêmio de Incentivo que ganharam da TV Globo Animação no ano passado (quando competiram com Hein!). Os outros ganhadores em vídeo brasileiro foram Não Fique Pilhado (2º lugar), de Vicente e João Amorim e Curta Metragem - Anabel I (3º lugar), de Lancast Mota dos Santos.O primeiro lugar de Melhor Computação Gráfica (categoria que estreou no festival esse ano) ficou com Crocotires Traction AA, do japonês Tohru Patrick Awa, que conta uma improvável luta de box que acontece entre pneus velhos num depósito de lixo. 2º lugar para The Child, de Antoine Bardou-Jacquet, da França, e 3º lugar para Planet Paranoid, do alemão Jan Thiring.O festival ainda contou com premiações na categoria Melhor Curtas em Vídeo (que consagrou o português Mario Jorge Neves, com Shshsh - Sintonias Incompletas), e Melhor Portfólio (prêmio ao melhor conjunto de animações de uma produtora, concedido à brasileira Terracota, com 2º lugar à americana Blue Sky Studios). Atrações - Em São Paulo o pessoal do Anima ainda enfrenta alguma dificuldade com tempo e espaço. Aqui a mostra acontece no MIS e no Centro Cultural da Fiesp, em quatro dias, enquanto que no Rio o festival tomou lugar em três locais diferentes e em dez dias. Ainda assim, nada comprometerá a exibição ou a qualidade de cada um dos selecionados. Tudo depende só da disposição de quem quiser ver, o que significa enfrentar as diversas sessões programadas. Em compensação é tudo gratuito, sendo somente necessário retirar ingresso uma hora antes de cada sessão.As reuniões do Papo Animado têm tido um bom público no Rio, e repetem-se aqui também. Abi Feijó, diretor da Produtora Filmógrafo, de Portugal, irá falar com o público no MIS na Quarta (26), às 17h, além de mostrar alguns destaques dos treze anos de existência do estúdio. Em seguida o papo é com Lionel Fanges, do grupo francês Ex Machina, especializado em animação com elementos de computação, às 19h. Dia 28, sexta, o Papo Animado é com Alexander Petrov, diretor do premiadíssimo O Velho e O Mar, no MIS, com exibição desse filme além de The Dream of A Ridiculous Man, baseado na história de Dostoievski, e outros dois filmes. O Velho e O Mar será exibido novamente dias 29 e 30 na Fiesp, às 19h e 20h30 respectivamente. No dia seguinte, às 19h também, é a reunião com Otto Guerra, brasileiro homenageado nessa edição do festival. Entre seus desenhos de destaque estarão o clássico Rock e Hudson e Janela. Este último tornou-se conhecido por boa parte do Brasil quando integrou a mostra de Luís Bolognese e Laís Bodanski, que depois transformou-se no documentário Cine Mambembe - o Cinema Descobre o Brasil. Outro papo com Guerra acontece dia 30 (Domingo) às 22h (em conjunto com o grupo Ex Machina).As sessões têm início no MIS às 14h desta quarta (26), com o longa-metragem russo Optimus Mundus, onde vários animadores colocam a visão que têm de Moscou. A mostra de longas é outra das categorias que são novidade no festival. Quase ao mesmo tempo, na Fiesp, às 14h30, a mostra oficial começa com o francês La Danse Des Asperges Sarrasines. O destaque, no entanto, fica para a sessão seguinte, às 16h, que terá o cáustico Protest, do americano Steve Katz, e o singelo (e filosófico) francês un Conteau Dans Les Fourchettes. Uma das melhores sessões, no entanto, acontece às 19h na Fiesp (também quarta), e no MIS no sábado, às 17h, que contará com Almas em Chamas, do brasileiro Arnaldo Galvão, Figured Bass, dos ingleses Suzie Hanna e Hayley Winter e Can´t Drag a Race With Jesus, do americano Bill Plympton. O alemão Headless, também merece destaque e estará nas sessões desta quarta (22h30) no MIS e da sexta (22h) na Fiesp, acompanhado do igualmente imperdível Angry Kid, do inglês Darren Walsh. Serviço - 8.º Festival Internacional de Animação do Brasil - Anima Mundi 2000. De quarta a domingo. Museu da Imagem e do Som. Av. Europa, 158, tel.: 852-9197. Centro Cultural Fiesp. Av. Paulista, 1.313 (Estação Trianon/Masp), tel.: 284-3639. Entrada gratuita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.