Angélique Kidjo reúne elenco eclético e estelar em ´Djin Djin´

´Sedjedo´, com Ziggy Marley, mostra como a percussão pulsa forte nas canções

Agencia Estado

27 de junho de 2007 | 14h12

Santana, Alicia Keys, Joss Stone,Peter Gabriel, Ziggy Marley, Branford Marsalis, Josh Groban,Amadou & Mariam. A cantora Angélique Kidjo não fez por menos ereuniu essa gente toda no álbum Djin Djin (EMI). Um elenco tãoestelar quanto eclético poderia resultar em patchwork berrante,mas não. Além de atestar a credibilidade da cantora do Benin,esses nomes poderosos não estão ali para fazer figuração deapelo comercial. Cada um dá a colaboração sem ofuscar a cantora.Até porque, as bases dela são bem firmes e a voz continuaestupenda e comovente. O estilo de cada convidado não é estranho ao universosonoro de Angélique, que há tempos expande fronteiras, com o péna África e a cabeça no mundo. Até com o baiano Carlinhos Brownela trabalhou. Diz Angélique que Alicia Keys descobriu afinidadecom o hip-hop quando ouviu a faixa-título do álbum, da qualparticipa com Marsalis. Joss Stone divide os vocais comAngélique numa versão inusitada de Gimme Shelter(Jagger-Richard). Em outro cover, Pearls (de Sade), há oencontro de Groban e Carlos Santana, cuja guitarra "dança echora", como diz Angélique. Mais surpreendente é a adaptação doBolero de Ravel, rebatizado de Lonlon. Mais seguras de boas soluções são as outras faixas, atéporque atestam que Angélique continua viçosa como compositora.Sedjedo, parceria com Ziggy Marley, é um dos melhores exemplos etem um arranjo vocal tocante. A percussão pulsa forte nascanções, mesclando ritmos de origem com a antena no global. Nemprecisa entender direito as letras (que aparecem resumidas eminglês no encarte) para perceber a eficácia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.