Ancine abre consulta para nova lei da TV

Juliana Paes, a nova Gabriela, e Christiane Torloni dão seus depoimentos, como ex-fumantes que são, no encerramento da série Brasil Sem Cigarro, que vai ao ar neste domingo, pelo Fantástico.

O Estado de S.Paulo

10 de dezembro de 2011 | 03h09

O próprio doutor Drauzio Varella dará seu testemunho ao fim da série pilotada por ele no domingo.

Laís Bodanzky, Nando Olival, Esmir Filho, Tata Amaral, Ugo Giorgetti, Daniela Thomas, Beto Brant e Ricardo Elias falarão sobre seus filmes favoritos na faixa Mostra Internacional de Cinema, na Cultura. Estreia na quarta-feira e vai até 6 de janeiro.

As quatro seleções com pior colocação no ranking da Fifa motivam a série Jogos de Outro Mundo, que estreia segunda-feira, no Jornal da Globo. São elas: Samoa, Samoa Americana, Tonga e Ilhas Cook.

A Globo constrói em sua sede no Jardim Botânico, Rio, um novo estúdio de vidro para os telejornais locais. A ideia é aproveitar o belo cenário do entorno, como acontece em São Paulo, com a ponte estaiada e a Marginal do Pinheiros.

Rogério Fasano ocupa o centro do Roda Viva nesta segunda-feira, ao vivo, pela TV Cultura.

Críticos da APCA, Associação Paulista de Críticos de Artes, reúnem-se nesta segunda-feira para discutir e eleger os melhores do ano, inclusive na TV.

Cordel Encantado ainda rende frutos. As autoras da novela, Thelma Guedes e Duca Rachid, participam da 7.ª edição do Festival Aruanda, que vai de hoje a quarta-feira em João Pessoa, encabeçando o painel Do Auto da Compadecida ao Cordel Encantado.

Jayme Matarazzo e Nathalia Dill, do mesmo Cordel, também vão a João Pessoa. O evento tem o apoio do Globo Universidade.

Diogo Nogueira e Paulo Zulu se encontram em Itacaré, na Bahia, onde a Globo gravou o reality Nas Ondas, cena para o Globo Esporte e Esporte Espetacular deste fim de ano. O músico comentou sobre a prova de surfe e prestou consultoria musical aos candidatos.

"Falta bom senso, falta paciência... falta elegância." Sandra Annemberg endossa seu bordão da elegância, no Jornal Hoje, da Globo, anteontem.

Com Natal e ano novo pela frente, mais aquela emenda que janeiro sempre inspira para férias, a época não conspira a favor de qualquer consulta pública. Sim, o diretor-presidente da Agência Nacional de Cinema (Ancine), Manoel Rangel, bem sabe disso, mas não terá outra alternativa para angariar sugestões, contestações e até eventuais elogios à nova lei da TV paga. O dispositivo terá de entrar em vigor até 12 de março, três meses após ter sido sancionado pela presidente Dilma Rousseff. O que entra em consulta pública a partir de quinta ou sexta-feira que vem é o regulamento feito para definir uma série de pontos ainda obscuros para programadores, operadores e produtores.

Acarajé

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.