Anatel quer padrão único de TV digital no Mercosul

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Renato Navarro Guerreiro, disse nesta segunda-feira que o governo vai decidir o padrão da televisão digital em acordo com os países integrantes do Mercosul - Argentina, Uruguai e Paraguai - e o Chile. Guerreiro informou que esta medida foi tomada na sexta-feira, durante reunião dos parceiros do bloco comercial em Florianópolis (SC). Isso poderá retardar o processo de escolha da tecnologia que vai ser utilizada pela população para receber os programas de televisão.Na avaliação de Guerreiro, a determinação conjunta poderá baratear o preço dos televisores. "Se fecharmos um padrão único será possível estendê-lo para toda América Latina" disse Guerreiro. Ele enfatizou que as agências reguladoras estão buscando um padrão que atenda às necessidades da região.A posição defendida pelo governo também foi anunciada hoje pelo diretor da Anatel Luiz Tito Cerasoli durante palestra transmitida em rede de televisão executiva para os escritórios regionais da agência reguladora nos demais Estados.Segundo Tito, a decisão sobre o padrão, que estava prevista para ser anunciada em fevereiro do próximo ano, pode ocorrer apenas no mês seguinte, quando os dirigentes das agências reguladoras dos serviços de infra-estrutura do Mercosul voltam a tratar do assunto.Guerreiro assegurou que o motivo da nova posição é o preço dos equipamentos. "O Brasil representa 40% do mercado e, se o mesmo padrão fosse adotado pelo bloco, haveria possibilidade de conseguirmos equipamentos mais baratos para a população", explicou Guerreiro.A decisão sobre o padrão de televisão digital envolve um negócio estimado em US$ 10 bilhões. Os testes realizados até o momento foram favoráveis à tecnologia européia ou japonesa. Isso fez com que os fabricantes americanos tentassem convencer as autoridades do Brasil a dar seqüência à experiência com os equipamentos produzidos nos Estados Unidos.

Agencia Estado,

13 de novembro de 2000 | 18h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.