Ana Paula Padrão assume Jornal da Globo

Com a entrada de Ana Paula Padrão como âncora, o Jornal da Globo promete ficar mais moderno e ágil a partir do dia 7 de agosto, segunda-feira, quando a ex-correspondente internacional assume definitivamente a bancada do jornalístico. "Os dois pilares do jornal serão: conteúdo com mais densidade e formato mais ágil. Não quero ´engessar´ o noticiário, mas sim acrescentar mais entradas ao vivo a fim de torná-lo mais flexível, sem ser maçante e duro, pois isso não tem nada a ver com o meu perfil", assim define Ana Paula sobre seu novo trabalho na Rede Globo.Repórter da emissora desde 1987, ela já cobriu a editoria de economia em Brasília, foi colunista do Bom Dia Brasil, Jornal Hoje e atuou como correspondente internacional. Sua despedida do cargo anterior foi através de uma série de reportagens especiais sobre o drama da população do Taliban, no Oriente Médio. "Quero continuar sendo uma repórter na bancada", avisa ela, que também atuará como editora executiva do jornal, ao lado de Luiz Fernando Ávila. Amauri Soares, diretor editorial do jornalismo de São Paulo, diz que a chegada de Ana Paula ao Jornal da Globo está ligada à permanente atualização dos jornalísticos da casa. "Estamos aproveitando a entrada dela para fazer uma mudança e modernizar o jornal. Seu formato será mais inquieto e menos previsível, surpreendendo o telespectador. Quanto ao conteúdo, ele terá uma abordagem mais profunda, e não apenas um resumo das notícias do dia", explica.Já para Ricardo Melo, editor chefe do Jornal da Globo, Ana Paula está contribuindo para o rejuvenescimento do formato e do perfil das notícias. "Ela vai dar uma cara nova ao jornal."No novo Jornal da Globo a equipe esportiva ganha mais espaço, seja em campo ou nos estúdios. "A colaboração do esporte será muito forte no jornal, seja com o Cléber Machado, nosso comentarista, ou com qualquer outra pessoa da equipe", afirma Ana Paula.Além de Cléber, o jornal também vai contar com outros colunistas fixos. Arnaldo Jabor fará suas análises e Franklin Martins, de Brasília, continuará com seus comentários sobre política. "Quero ir além do factual", avisa ele. Quem estréia como colunista é Ednei Silvestre, de Nova York, apresentando crônicas comportamentais.O cenário não sofrerá grandes modificações. "Ele já é maravilhoso e terá apenas algumas mudanças, assim como as vinhetas do jornal", diz Ana Paula, que pretende estar mais próxima do seu público também por meio da Internet."Com o novo formato da nossa página na Internet faremos com que as pessoas se cadastrem, a fim de receberem, pouco antes do jornal ir ao ar, uma carta nossa com as principais notícias daquele dia. Também haverá espaço para sugestões, críticas e pesquisas", explica ela. Assumindo o papel de âncora e, eventualmente de repórter em externas, Ana Paula afirma que não pretende "dar palpite no ar". "Um âncora não está lá para dar a opinião dele, mas sim para conduzir o jornal. A condução é que dá pistas do perfil do apresentador", atesta."A Ana Paula não será um ´Bóris Casoy´ no fim de noite da Globo. Sua imagem não está associada a de uma jornalista opinativa, mas sim à credibilidade que o nosso jornal possui", conclui Ricardo Melo.

Agencia Estado,

06 de agosto de 2000 | 15h49

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.