Amy Winehouse paga fiança e é libertada de prisão em Londres

Porta-voz da polícia afirmou que 'mulher' foi solta até o final deste mês, enquanto são feitas novas investigações

REUTERS

08 de maio de 2008 | 11h20

A cantora britânica Amy Winehouse foi libertada da custódia policial, depois de ter sido detida por suspeita de delitos relacionados a drogas, informaram fontes policiais nesta quinta-feira, 8. Uma porta-voz da polícia afirmou que a mulher, que vive em Camden, zona norte de Londres, foi libertada sob fiança até o final deste mês, enquanto são feitas novas investigações. A porta-voz não identificou a mulher e se negou a dar mais detalhes. A cantora soul premiada com o Grammy foi detida depois de ter se entregue numa delegacia de polícia da zona leste de Londres, na quarta-feira, e ter sido interrogada por mais de nove horas. A prisão teve relação com um vídeo divulgado por um tablóide britânico que mostrava Amy supostamente fumando crack. A cantora, de 24 anos, não foi acusada formalmente. Em comunicado à imprensa, a polícia declarou: "Às 13h da quarta-feira uma mulher de 24 anos compareceu a uma delegacia policial de Londres, atendendo a convocação prévia. Ela foi detida em conexão com a alegada posse de uma droga controlada." Segundo relatos da mídia, Amy estava desgrenhada e com aparência angustiada quando chegou à delegacia policial de Limehouse. No mês passado ela passou uma noite numa cela policial, mas foi libertada sem acusação depois de admitir ter cometido agressão, dando um tapa num homem, em um bar. De acordo com a mais recente lista do Sunday Times das pessoas mais ricas do país, Amy, cuja batalha contra a dependência de drogas em vários momentos ganhou mais destaque que seu sucesso como cantora, possui fortuna de 10 milhões de libras (US$ 20 milhões). Ela não compareceu à entrega dos Grammy em Los Angeles, em fevereiro, mas mesmo assim teve cinco grandes vitórias, incluindo os Grammys de melhor disco e canção do ano, por Rehab, e de melhor álbum pop vocal por Back to Black. Seu marido, Blake Fielder-Civil, de 25 anos, irá a julgamento em junho, acusado de tentar desviar a ação da Justiça e causar danos físicos graves. Fielder-Civil, que se encontra detido, nega as acusações, que estão ligadas a uma briga num pub da zona leste de Londres em junho de 2006.

Tudo o que sabemos sobre:
GENTEWINEHOUSELIBERTADADROGAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.