Amor entre irmãos narra "Os Maias"

As primeiras cenas da nova minissérie da Globo, Os Maias, já começaram a ser rodadas na capital de Portugal, Lisboa, e nas cidades de Coimbra e Sintra. A equipe de produção, assim como boa parte do elenco encabeçada por Ana Paula Arósio e Fábio Assunção, permanecerá em terras lusitanas até a primeira quinzena de novembro, quando terminam as gravações externas da minissérie. As cenas de estúdio começam a ser gravadas no Projac assim que a equipe voltar de Portugal. Com estréia prevista para janeiro de 2001, a minissérie deverá ter 48 capítulos, num formato próximo à última produção do gênero, A Muralha, também assinada por Maria Adelaide Amaral. Realizada em parceria com a SIC (Sociedade Independente de Comunicação), a obra poderá ser exibida simultaneamente em Portugal. A trama conta a história da tradicional família Maia. Pedro (Leonardo Vieira) vive com o pai viúvo, Afonso da Maia (Walmor Chagas), em Lisboa. Durante uma tourada, Pedro conhece Maria Monforte (Simone Spoladore) e se apaixona por ela, mas o romance é rejeitado por Afonso, pelo fato de Maria ser filha de um negreiro, Manuel Monforte (Stênio Garcia). Apesar de tudo, Pedro foge e se casa com Maria, vivendo anos de paixão. Os dois têm um casal de filhos, Maria e Carlos. Um dia, Maria Monforte conhece o italiano Tancredo (Fabio Fulco) e vai embora com ele levando apenas a filha, deixando Carlos sob os cuidados do pai. Inconformado com a traição, Pedro volta para a casa de Afonso e se mata. Afonso acaba ficando responsável pela criação de Carlos, a quem confere rígidos padrões ingleses e afastado de qualquer tipo de religião. Já adulto, Carlos (Fábio Assunção) começa a estudar medicina na Universidade de Coimbra. Formado, resolve retornar à Lisboa, onde se encontra com Maria Eduarda (Ana Paula Arósio), recém-chegada à capital portuguesa com o marido brasileiro, Castro Gomes (Paulo Betti), e com a filha Rosa (Isabelle Drummond). Sem saber que ela é sua irmã de sangue, Carlos se apaixonará por ela, assim como Eça de Queiroz descreveu em seu romance há mais de 100 anos. Barbas e Anáguas - Para compor os personagens, toda a equipe envolvida com a produção e a gravação da minissérie participou de palestras com especialistas na obra do escritor português Eça de Queiroz (1845-1900), autor do romance homônimo publicado em 1888 que serviu de inspiração para a obra. A preparação do visual dos personagens - que ajudarão a contar a história da sociedade portuguesa na segunda metade do século 19 - significou a vários atores deixar a barba crescer, como é o caso de Leonardo Vieira, Fábio Assunção, Osmar Prado, Selton Mello, entre outros. As atrizes também estão caprichando no visual, que inclui o uso de anáguas, figurino e maquiagem obedecendo os padrões de comportamento da sociedade lisboeta da época. Mas a preocupação com o visual não está apenas no figurino dos atores. O diretor Luís Fernando Carvalho não está medindo esforços para reconstituir a aldeia portuguesa descrita por Eça de Queiroz em sua obra. Para isso, pediu para retirar das ruas qualquer sinal que remeta ao século 20 - como placas de trânsito e postes de energia elétrica. O trabalho de reconstituição de época também beneficiará a população de Portugal, já que a equipe da Globo está incumbida de remover as pichações dos monumentos históricos e recolocar os tradicionais azulejos do século 18 nas fachadas das casas. Belas Locações - Os moradores dos vilarejos onde estão sendo gravadas as cenas com os atores globais estão animados com o movimento repentino. Acostumados a acompanhar as novelas brasileiras, muitos já conheciam alguns dos rostos que estão circulando pelos camarins móveis e trailers levados pela equipe de produção. Além das gravações das cenas com atores, muitos lugares serviram de inspiração para outros cenários da minissérie. A Casa da Lousã, por exemplo, construída no século 17 na cidade de Marco de Canaveses (terra natal de Carmem Miranda), será a fachada da casa onde Pedro da Maia e Maria Monforte viverão nos primeiros capítulos da minissérie. Já o Palácio da Brejoeira (que fica em Monção, numa região vinícola localizada quase na divisa com a Espanha, a 400 quilômetros de Lisboa) será a Quinta de Santa Olávia, onde Afonso da Maia criará seu neto Carlos. Em Monção também foram rodadas cenas da partida de Carlos para Coimbra, onde irá estudar. Outras locações que também deverão ser usadas na minissérie serão a Quinta da Bela Vista, na região de Douro, norte de Portugal, que poderá ser a casa da Viscondessa de Gafanha (vivida por Mila Moreira); e a Casa de Matheus, localizada na região de Vila Real. Neste local seriam ambientadas as cenas de João da Ega (Selton Mello), que sai de uma cidade do interior para estudar em Coimbra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.