Amor à primeira vista - ou melhor, em meio segundo

Quem não acredita em amor à primeiravista vai pensar melhor depois de conhecer uma nova pesquisa,segundo a qual as pessoas levam meio segundo para decidir seacham outra pessoa bonita e se a consideram como um possívelparceiro. "O estudo chega aos aspectos perceptivos básicos na buscade parceiros", disse o psicólogo Jon Maner, da UniversidadeEstadual da Flórida, que chefiou a pesquisa. "Ele mostra o quãorapidamente, fortemente e automaticamente as pessoas ficamsintonizadas com a atratividade física, seja procurandoparceiros ou guardando seus parceiros de potenciais rivais",disse ele em entrevista. Os autores do estudo publicado na revista Journal ofPersonality and Social Psychology descobriram que as pessoastendem a se fixar em rostos atrativos até meio segundo depoisde vê-las, e então as qualificam como possíveis parceiros ourivais. No estudo, alunos universitários viam durante 1 segundofotos de pessoas muito atraentes ou de aparência mediana, eentão tinham de olhar para outras coisas. Ao medir o tempo dereação das pessoas, Maner e sua equipe conseguiram determinarque basta meio segundo para aferir se alguém é atraente. Além disso, as pessoas tendiam a se fixar nos rostosatraentes por meio segundo a mais além do limite de 1 segundo. Os universitários solteiros em geral se interessavam pelosexo oposto. "[As muito atraentes] são o tipo de pessoa quepodemos preferir como parceiros românticos, mas não significaque seríamos capazes de ter um relacionamento com elas, porquepessoas altamente atraentes são muito disputadas", disse Maner. Já as pessoas envolvidas em um relacionamento afetivopareciam, ao ver as fotos, mais interessadas nas pessoas domesmo gênero. "[Em relação às pessoas mais bonitas] nós temosciúmes e ficamos vigilantes, preocupando-nos com a infidelidadeao tentarmos guardar nossos parceiros", explicou Maner. O estudo também mostrou as armadilhas da fixação visual,inclusive os efeitos negativos para a auto-estima quando seolha uma pessoa atraente do mesmo sexo. Segundo Maner, essanegatividade pode estar ligada a distúrbios como a bulimia. Outro inconveniente é que as pessoas se tornam menossatisfeitas com suas atuais relações. "A evidência nos mostraque quando vemos alternativas atraentes aos nossos parceirosisso nos faz sentir menos satisfeitos e menos comprometidos como nosso atual parceiro, o que claramente tem implicações para osucesso da relação." (Por Sharon Ho)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.