Amir Haddad revive o teatro dos anos 60 no Rio

Um ciclo de leituras dramatizadas será inaugurado hoje no Teatro Glória, no Rio, supervisionado pelo teatrólogo Amir Haddad. É o 60 AC/DC, que durante oito semanas, sempre às terças, reunirá um grupo de atores do primeiro time e abrirá as portas do teatro para estudantes e atores iniciantes. Após as leituras, Amir e os atores convidados se juntam à platéia num debate sobre os textos lidos. O objetivo do ciclo é trazer à tona o modo como se escrevia teatro em meio ao regime militar pós-64, comparando-o com o texto teatral de antes e depois. Cada leitura será dirigida por um diretor que viveu os anos 60. O primeiro texto, Beijo no Asfalto, de Nelson Rodrigues, que será lido hoje, vai ter direção de Antônio Abujamra. Depois vêm Se Correr o Bicho Pega, Se Ficar o Bicho Come, de Oduvaldo Vianna Filho e Ferreira Gullar e Liberdade, Liberdade, de Millôr Fernandes, ambos dirigidos por Antônio Pedro. Segue com Mão na Luva, de Oduvaldo Vianna Filho e Abajur Lilás de Plínio Marcos, os dois dirigidos por Amir Haddad. Os três últimos dias trarão a público O Assalto, de José Vicente, dirigido por Ivan Albuquerque, Apareceu a Margarida, de Roberto Athayde, com direção de Aderbal Freire Filho e, finalmente, Roda Viva de Chico Buarque, que fecha o ciclo com direção de José Celso Martinez Corrêa. Ney Latorraca, Louise Cardoso, Julia Lemmertz, Daniel Dantas e Marco Ricca são alguns dos atores que farão parte do elenco fixo de 60 AC/DC. Entre os convidados para uma leitura estão Marília Pera, Maria Padilha, Claudio Marzo e Chico Diaz. A entrada para os encontros é gratuita.60 AC/DC - Teatro Glória. Rua do Russel 632, Glória. Tel: 557-5527. Início 24/10 até 12/12, sempre às 21h. Entrada franca.

Agencia Estado,

24 de outubro de 2000 | 20h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.