Amigos fazem tributo a Waly Salomão

O irrequieto poeta Waly Salomão deixou para trás uma legião de órfãos inconsoláveis, ao morrer há quase um ano, no dia 5 de maio. Para mantê-lo vivo, esses órfãos se apegam ao seu legado - que não é pouco. É o caso de um grupo de velhos amigos de Waly, que resolveu unir forças e prestar uma homenagem a ele, hoje, no restaurante Casserole, no centro. Será uma festa a portas fechadas, só para convidados, mas no lado de fora do restaurante, no Largo do Arouche, estará instalado um telão, no qual os transeuntes poderão assistir a cenas da festa e imagens do próprio Waly.Alguns nomes representativos da cultura e de outras áreas estão sendo aguardados por lá, como Tadeu Jungle, Zé Miguel Wisnik, Walter Silveira, Cid Campos, José Simão, Washington Olivetto, Gisela Moreau, Suzana Salles, só para citar alguns. Arnaldo Antunes e Gal Costa também devem comparecer, mas ainda não confirmaram presença por causa das agendas atribuladas. Se Gal Costa der o ar da graça, ela comandará show acústico. Todos os participantes vão abrir mão de cachê.Além do tributo pelo tributo, fatores outros servem de mola propulsora para a tal homenagem. Entre elas, o lançamento do livro inédito de poesias de Waly Salomão, Pescados Vivos (Editora Rocco), três dias antes do início da Bienal do Livro de São Paulo. Com orelha escrita pela crítica literária Leyla Perrone-Moisés, a obra póstuma foi desengavetada graças à iniciativa de Marta Braga, viúva de Waly, e dos filhos.No sarau, será relançado também Me Segura Q´Eu Vou Dar um Troço (Aeroplano Editora/Fundação Biblioteca Nacional), livro de estréia do poeta baiano, editado pela primeira vez em 1971, época em que ele ainda assinava como Waly Sailormoon. Além disso, está programada a projeção do DVD Nomadismos: Homenagem a Waly Salomão, realizado pelo VideoBrasil e que traz imagens da performance Bestiário Masculino-Feminino; vídeos de Carlos Nader, Eder Santos, Marcelo Tas e Lucas Bambozzi; registros de viagens e álbum de família, entre outros conteúdos. E o grupo de amigos aproveita a ocasião para dar início a uma campanha junto à Prefeitura, para que um espaço em São Paulo, sobretudo ligado à leitura, receba o nome do poeta baiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.