Amigos despedem-se de Carlos Eduardo Dolabella

Amigos e parentes prestaram nesta tarde sua última homenagem ao ator Carlos Eduardo Dolabella, de 65 anos, que morreu ontem à noite, de falência múltipla de órgãos. O velório começou por volta de 9 horas e foi realizado na capela 1 do Cemitério São João Batista, na zona sul.No caixão, a bandeira do Flamengo e, ao fundo, músicas de Frank Sinatra, que, depois das mulheres, eram a grande paixão doator, segundo amigos. O corpo de Dolabella será cremado amanhã, no cemitério do Caju, na zona Portuária do Rio."Íamos junto aos jogos. Só não fomos ver um jogo do Flamengo no Japão porque o Dolabella estava trabalhando. Estou muitotriste. Ele era muito intenso, divertido. Adorava cantar. No ano passado, cantou Frank Sinatra no Bar Mistura Fina", lembrouMichel Assef, amigo de 40 anos e há 30 advogado da família. A cantora Elba Ramalho, que também convivia com Dolabella há 40 anos, resumiu a dor da família. "Acho que agora, tanto oDado (o ator Dado Dolabella, filho), quanto a Pepita (a atriz Pepita Rodrigues, ex-mulher) e o próprio Dolabella tenham alcançadoo descanso final." O ator Jorge Cherques, companheiro de televisão e teatro de Dolabella, estava inconformado. "Estou perdendotodos os meus amigos. Estou perdendo meus braços, minhas pernas. Meu coração está sangrando." Entre os presentes, estavam a atriz Deborah Secco, namorada de Dado, e Márcio Braga, ex-presidente do Flamengo. Ele levou uma coroa de flores e pediu que tocassem um CD com o hino do clube. Dolabella tinha quatro filhos, resultado de três casamentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.