Richard Drew/AP
Richard Drew/AP

Americano Philip Roth vence o Prêmio Príncipe das Astúrias de Letras

Romancista é um dos mais representativos da ficção dos EUA na segunda metade do século XX

AP

06 de junho de 2012 | 12h14

O escritor Philip Roth, considerado um marco da grande narrativa americana, foi anunciado nesta quarta-feira, 06, como o vencedor do Prêmio Príncipe das Astúrias de Letras.

Os jurados destacaram que o trabalho de Roth faz parte da melhor tradição novelística dos Estados Unidos, que segue o caminho aberto por autores como John Dos Passos, Scott Fitzgerald, Ernest Hemingway, entre outros.

"Ele tem uma qualidade literária que é exibida em uma escrita fluida e incisiva", disse o júri em sua decisão. "Os personagens, fatos, formam uma visão complexa do mundo contemporâneo, que está dividida entre a razão e sentimentos, como o sinal dos tempos e da inquietação do presente".

Roth, de 79 anos, é um dos romancistas mais representativos da ficção dos EUA na segunda metade do século XX. Seu nome sempre aparece na lista de candidatos para o Prêmio Nobel, que ainda resiste. Ele é o quarto americano a receber o Príncipe das Astúrias de Letras. Arthur Miller, em 2002, Susan Sontag, em 2003, e Paul Auster, em 2006, foram premiados na mesma categoria.

O Príncipe das Astúrias 2012 já anunciou cinco dos oito prêmios que concede em sua 32 ª edição. O japonês Shigeru Miyamoto, criador do vídeo game Mario Bros, foi homenageado em Comunicação e Humanidades. O biólogo britânico Gregory Winter e o patologista americano Richard Lerner foram laureados em Investigação Científica e Técnica. Enquanto o arquiteto espanhol Rafael Moneo foi anunciado vencedor na categoria de Artes e Filosofia e a americana Martha Nussbaum, em Ciência Social.

Os prêmios serão entregues no mês de outubro em Oviedo, durante cerimônia presidida pelos Príncipes das Astúrias, Felipe de Borbón e Letizia Ortiz, herdeiros da coroa espanhola.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.