Amazon.com causa polêmica ao retirar livros gays de ranking

Maior loja de vendas na internet afirma que incidente foi causado por 'erro de catalogação' das obras

Agências internacionais,

14 de abril de 2009 | 09h04

A Amazon.com, a maior loja de vendas pela internet do mundo, está no centro de uma discussão sobre censura depois que livros de temática homossexual foram retirados do ranking de mais comprados no fim de semana. A empresa afirma que o incidente foi causado exclusivamente por um "erro de catalogação".

 

No último fim de semana veio a público que a loja virtual tinha suprimido do ranking de vendas algumas publicações de temática homossexual, o que rapidamente se espalhou pela internet e que foi interpretado por muitos como uma questão de autocensura. Entre as obras retiradas da lista estão Brokeback Mountain, de Annie Proulx, e A Cidade e o Pilar, de Gore Vidal. Nesta terça-feira, eles permanecem fora do ranking.

 

"Trata-se de um vergonhoso e lamentável erro de catalogação da companhia, que tem muito orgulho de oferecer uma seleção completa" de livros, afirmou em comunicado o porta-voz da Amazon.com, Drew Herdenmer. A empresa elabora esse ranking para que os interessados em um produto tenham dados sobre sua aceitação no mercado, o que fez com que a alteração fosse detectada rapidamente e que muitos usuários tenham entrado em contato com a loja para se queixar.

 

Herdenmer explicou que a falha já foi consertada, e destacou que o problema não afetou apenas os livros de teor homossexual, mas um total de 57.310 obras de todo tipo de temáticas e de distintas zonas do mundo. "Também não afetou só os ranking de vendas, mas também a retirada de livros no sistema de busca principal da Amazon", acrescentou o portavoz, que prometeu que a companhia está tomando as providências necessárias para evitar que este tipo de "acidentes" se repitam.

Mais conteúdo sobre:
Amazon

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.