"Alô, Alô Terezinha!" mostra TV através dos tempos

Na comédia musical Alô, Alô, Terezinha! quatro músicos e seis atores - entre eles, Rosi Campos, Rubens Caribé e Helen Helene - dirigidos por Hugo Possolo (do grupo Parlapatões) e com direção musical de Pedro Paulo Bogossian, fazem um zapping pela televisão brasileira através dos tempos. O espetáculo foi criado pelo grupo Circo Graffiti e estréia hoje para o público no Centro Cultural Banco do Brasil.A forma como o grupo interpreta a mesma novela em três momentos da TV - como dramalhão ingênuo na década de 60, ´acariocada´ na década de 80, e desfigurada pelo merchandising nos tempos atuais - é exemplo do tom buscado pelos autores. Sim, são vários os que assinam o texto: Pedro Vicente, Possolo, Bogossian, Helene e Rosi Campos. "Como o espetáculo flagra os programas em ordem cronológica, a gente percebe claramente como a TV era lúdica e foi pouco a pouco ficando mercadológica e mais grosseira", comenta Possolo.A Terezinha do título veio de outro planeta. Ela acompanhava as telenovelas brasileiras com a família Robinson, de Perdidos no Espaço. Mas um dia ela perde o último capítulo e vem para a Terra, acompanhada de seu animal de estimação, uma galinha: para descobrir o que aconteceu. Daí o zapping através dos tempos. Ao fim, a galinha não volta. "Ela casa com um diretor de telenovelas."Alô, Alô Terezinha! - Centro Cultural Banco do Brasil. Rua Álvares Penteado, 112, Centro, 3113-3651, metrô Sé. Quinta a sábado, 20 horas; domingo, 19 horas. R$ 15. Até 12/12

Agencia Estado,

15 de outubro de 2004 | 17h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.