"Alma Gêmea" recupera audiência da Globo

Uma pesquisa recente do ibope revelou que a novela de época Alma Gêmea levantou quase 10 pontos o ibope do horário das 18 horas do canal carioca, comparando com a antecessora Como Uma Onda. A trama de Walcyr Carrasco registrou - nas duas primeiras semanas no ar - 35 pontos de média e 55% de share (participação total das TVs ligadas). Como Uma Onda marcou 27 pontos e 46% de share. Mas por que os anos do amor inocente e do excesso de roupas parece ter conquistado de forma definitiva o horário das seis? O autor Walcyr Carrasco tem uma hipótese. "As novelas de época estão marcando bons índices de audiência porque as pessoas encontram valores que as contemporâneas ignoram, como por exemplo a atenção à família, ao casamento, aos filhos", acredita Walcyr. O autor pode estar certo. Outra pesquisa divulgada no final da semana passada pelo Ibope constatou que Alma Gêmea é o oitavo programa preferido entre as mulheres, seguido pela novela das 19 horas, A Lua Me Disse. Nenhuma das duas tramas, no entanto, faz parte da preferência do público masculino. Esta fórmula adorada pelas mulheres é a mesma que levou às alturas a audiência das antecessoras Cabocla, Chocolate com Pimenta e O Cravo e a Rosa, todas de época também. O remake Cabocla - escrita por Benedito Ruy Barbosa e suas filhas Edmara e Edilene - contava a história de uma moça humilde (Vanessa Giácomo) que se apaixona pelo rico e educado Luís Gerônimo (Daniel de Oliveira). Em Chocolate com Pimenta - também de Carrasco - a ´patinho feio´ porém doce Ana Francisca (Mariana Ximenes) fisgava o coração do galã da cidadezinha Danilo (Murilo Benício). E em O Cravo e a Rosa - de Carrasco, de novo - o ´patinho feio´ - e pobre - era Petruquio (Edu Moscovis), que viveu um hilário romance com a mimada Catarina (Adriana Esteves). A segunda fórmula do horário é o núcleo de humor, que gravita em torno dos protagonistas de todas estas novelas de época. Em O Cravo e a Rosa era o núcleo da fazenda de Du Moscovis. Em Chocolate foi a vez da ricaça Elizabeth Savalla. Em Cabocla, o humor temperou a fazenda novamente, com Patrícia Pillar e Tony Ramos como coronel desajeitado e caipira. Resultado? Médias acima de 35 pontos, bem diferente das tentativas de se fazer novelas ambientadas nos dias de hoje, como Agora que São Elas e Coração de Estudante, que se arrastavam abaixo dos 28 pontos. A audiência de Alma Gêmea poderá subir ainda mais a partir desta semana, quando Adelaide (Walderez de Barros) começa a questionar Serena (Priscila Fantin) se ela tem alguma marca de nascença, desconfiada de que a índia seja realmente a reencarnação de Luna (Liliana Castro). Paralelamente, Rafael (Eduardo Moscovis) sairá da fossa que vive desde a morte de Luna e começará a se apaixonar por Serena, certo de que ela é sua alma gêmea. Isto só irá aguçar ainda mais a raiva da vilã Cristina (Flávia Alessandra), que faz de tudo para conquistar Rafael. Enquanto a Globo comemora a audiência das seis, a emissora quer faturar fora dela com o lançamento de um anel que se separa em partes e, ao se unir, representa a busca pela ´alma gêmea´. O produto já está disponível em lojas de jóias do Brasil. A estratégia deu certo com o anel de O Clone, as jóias de Esperança e a medalha de Começar de Novo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.