Alinne Moraes entra para salvar vilão em 'Duas Caras'

Atriz entra em cena na pele de uma museóloga para regenerar Marconi Ferraço (Dalton Vigh)

AE, Agencia Estado

16 Outubro 2007 | 13h14

Se existe uma mulher capaz de regenerar Marconi Ferraço (Dalton Vigh), o vilão de Duas Caras, da Globo, é Alinne Moraes. Ou melhor, Maria Sílvia Pessoa de Moraes Barreto, personagem da atriz na novela das nove de Aguinaldo Silva. A museóloga entra em cena para humanizar o vigarista, tarefa que nem a mocinha Maria Paula (Marjorie Estiano) conseguiu cumprir. Após uma temporada de estudos na Europa, Maria Sílvia desembarca no Rio de Janeiro por conta de uma tragédia, a morte do pai, João Pedro (Herson Capri), vítima de uma bala perdida durante um passeio no circo com a amante, Célia Mara (Renata Sorrah). "Sílvia é uma garota sofisticada, morou dez anos em Paris. Quando volta para casa, entende que tem de fazer um curso intensivo sobre o Brasil para se acostumar com a cultura e as pessoas do País novamente", antecipa Alinne. Em meio à perda e uma crise familiar - a mãe, Branca (Suzana Vieira), não digere a traição que foi parar na primeira página dos jornais e quer obrigar a herdeira a assumir os negócios da família -, a jovem cruza com o vilão. Marconi tenta tirar proveito da fragilidade da personagem, como fez com Maria Paula no passado, mas o plano não sai como imagina. "No começo ela resiste, mas acaba gostando dele. Os dois se envolvem e a relação vai pegá-lo de surpresa. Pela primeira vez, ele vai se apaixonar perdidamente por uma mulher", conta a atriz. A força do amor - recurso mais que batido na teledramaturgia, mas ainda eficiente - inspira a regeneração de Marconi. A rotina do futuro casal, contudo, não será das mais fáceis. As informações são do Jornal da Tarde

Mais conteúdo sobre:
Alinne Moraes

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.