Alexandre Herchcovitch leva seu verão sutil e feminino para NY

Estilista paulistano desfilou na cidade a mesma coleção que mostrou na São Paulo Fashion Week, em junho

Flávia Guerra, enviada especial do Estado,

08 de setembro de 2008 | 17h54

Alexandre Herchcovitch foi o segundo estilista brasileiro a desfilar sua coleção primavera-verão 2009 na New York Fashion Week. Ao lado de Amir Slama (Rosa Chá), Iódice e Carlos Miele, o estilista paulistano, trouxe para o Bryant Park (a meca da moda nova-iorquina durante a semana de moda), sua coleção que brinca com a força e o peso dos motivos militares e com a delicadeza de tecidos leves e cheios de fru-frus. Veja também:Brasil vai além de chinelos e biquínis na Semana de Moda de NYRosa Chá, Carlos Miele, Herchovitch e Iódice em NY  Foto: Reuters Como já manda a tradição, esta coleção é exatamente a mesma que Herchcovitch desfilou em junho na São Paulo Fashion Week. Num jogo de linguagem, que mistura o peso de tecidos como o shantung (que caem perfeitamente nas formas militarizadas de 'golas de escoteiro' e armações pesadas) e a leveza do crepe (ultra-leve e feminino, contrapondo o peso militar), Herchcovitch discute e propõe um 'novo feminino' em regiões que sofrem conflitos militares, como países do Oriente Médio e África. A proposta foi bem recebida pelo público que lotou a sala Promenade do Bryant Park no sábado à noite. "A diferença de desfilar aqui e no Brasil é que em São Paulo as pessoas já conhecem a minha historia e têm uma leitura mais rápida de referências que eu faço com meu próprio trabalho e com coleções passadas", comentou o estilista nos bastidores do desfile após a apresentação. "O que muda é que os jornalistas estrangeiros, que não conhecem minha trajetória, acabam também fazendo perguntas interessantes. Uma norte-americana acabou de me perguntar porque eu faço aplicações de fru-frus e babados nas calcas da coleção. E isso já faz parte da minha trajetória. Ela não sabe, por exemplo, que eu comecei a criar na fabrica de lingerie da minha mãe, onde elementos como estes eram mais que comuns", continuou o estilista.  Não só a coleção se manteve a mesma como o casting do desfile foi praticamente igual. "Adoro as meninas que desfilaram em São Paulo. E os looks já estavam ajustados no corpo delas. Nada mais natural que conseguir trazê-las para a passarela daqui. E muitas já vivem na cidade. Foi até mais fácil", brincou Herchcovitch.  Mesmo não tão "de casa" para a imprensa estrangeira, o estilista vem colhendo boas criticas e ganhando espaço na concorridíssima agenda da moda internacional. Além de abrir sua primeira loja em Tóquio no ano passado, Herchcovitch ganha cada vez mais a atenção da crítica internacional e faz bonito ao lado de estilistas como Michael Kors, Rebecca Taylor, Tadashi Shoji, entre outros.  O line-up brasileiro na NYFW continua na terça-feira, com o desfile da Iódice, às 13h; e Carlos Miele, na quarta, às 15h. Ainda que não levando o selo de grife brasileira, a Calvin Klein tem chamado a atenção dos fashionistas patriotas de plantão. Francisco Costa assina a coleção da grife que desfile na quinta, as 16h. A repórter viajou a Nova York a convite da grife Rosa Chá

Tudo o que sabemos sobre:
Alexandre HerchcovitchNYFW

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.