Alessandra Negrini concilia teatro e gravidez

O barrigão de cinco meses não é empecilho. Ao contrário, até ajuda. Para Alessandra Negrini encarar o papel da escritora Tecla na montagem de Os Credores (do sueco August Strindberg) em São Paulo, a gravidez facilitou o trabalho em alguns aspectos. "Primeiro porque eu me sinto mais protegida para fazer essa peça. A gravidez protege, te deixa mais forte. E eu estou mais calma, mais tranqüila, isso me deu um ganho para a peça", explica. "E também porque equilibrou: agora são duas mulheres e dois homens no palco", completa. Isso porque a peça (em cartaz até 30 de maio) tem no elenco, além dela, Marcos Winter e Emílio de Mello. E a criança, já se sabe, será menina. O pai é o músico pernambucano Otto, com quem vive há mais de dois anos no Rio.Sempre séria para falar de trabalho, o sorriso da atriz se estica no rosto quando fala do marido. "O Otto me ajuda no trabalho, porque esse texto é difícil. Você precisa manter um equilíbrio mental senão você pira. E uma boa estrutura em casa, um companheiro, isso ajuda", derrama-se. "E ele me ajudou muito na construção da personagem, ele é muito sensível." Além do texto, a personagem também é complexa - tanto que Alessandra é a primeira atriz brasileira a enfrentá-lo. "É o papel mais difícil da peça porque, entre outras coisas, tem pouco texto. Essa montagem não foi mole para ninguém, mas foi barra especialmente para ela", atesta o diretor Antônio Gilberto. "A Tecla é uma mulher extremamente franca e aberta, que diz o que pensa e sente com um despudor absoluto."Em cartaz também no cinema, em Sexo, Amor e Traição (de Jorge Fernando), a atriz está longe das novelas desde Desejos de Mulher - que foi ao ar em 2002. "Sou contratada da Globo, mas quis ficar grávida. Tenho por princípio não fazer uma novela seguida da outra, fico pelo menos um ano parada", justifica. "Quando faço TV, trabalho dez horas por dia durante nove meses e, na rua, todo mundo te chama pelo nome do personagem." Os telespectadores, portanto, devem aproveitar a temporada de Credores para reencontrar a atriz. A peça trata dos conflitos de Tecla com o marido, Adolf (Winter), um pintor que por um lado permite à mulher uma vida social independente e, por outro, fica desconfiado das aventuras dela. O personagem de Emílio de Mello é o enigmático Gustav, um professor com quem Adolf confessa suas angústias.Os Credores - Sex. e sáb., às 21h; dom, às 19h. Até 30 de maio. Teatrp Seso Anchieta: Rua Dr. Vila Nova, 245, tel.: 3256-2281. R$ 20.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.